Melo e Kubot buscam terceiro título no ATP 500 de Viena neste domingo (1º)

Melo e Kubot buscam terceiro título no ATP 500 de Viena neste domingo (1º)
Lukasz Kubot (POL)/Marcelo Melo (BRA) (Erste Bank Open 2020 in der Wiener Stadthalle); Copyright: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer, 31.10.2020 <br> Die Fotos sind zur redaktionellen Verwendung für die mediale Ankündigung bzw. Berichterstattung über die Erste Bank Open 2020 in der Erste Bank Wiener Stadthalle freigegeben und stehen unter Angabe der Quelle und Urheberrechte (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer) ausschließlich für diesen Zweck honorarfrei zur Verfügung. The pictures have been approved for editorial use and are available free of charge if they are used for announcements and coverage in the press and media for the „Erste Bank Open 2020“ at the Erste Bank Wiener Stadthalle, quoting the source and copyright (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer).

Com a vitória diante de Krawietz e Mies, dupla cabeça de chave número 3 faz sua segunda final seguida e a quarta no torneio em que já foi campeã duas vezes – 2015 e 2016. Marcelo chega à 65ª decisão da carreira, 26ª com o parceiro polonês. Final será contra os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski.

Outubro, 2020 – Com uma vitória de virada, após um disputado match tie-break, Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão na final do ATP 500 de Viena. Neste sábado (31), na semifinal, os cabeças de chave número 3 derrotaram os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies por 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/4 e 10-8, em 1h26min. E, neste domingo (1º), às 7h45 (horário de Brasília), vão em busca do terceiro título na Áustria diante dos britânicos Jamie Murray e Neal Skupski. É a 65ª final da carreira de Melo, a 26ª ao lado de Kubot.

Lukasz Kubot (POL)/Marcelo Melo (BRA) (Erste Bank Open 2020 in der Wiener Stadthalle); Copyright: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer, 31.10.2020
Die Fotos sind zur redaktionellen Verwendung für die mediale Ankündigung bzw. Berichterstattung über die Erste Bank Open 2020 in der Erste Bank Wiener Stadthalle freigegeben und stehen unter Angabe der Quelle und Urheberrechte (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer) ausschließlich für diesen Zweck honorarfrei zur Verfügung. The pictures have been approved for editorial use and are available free of charge if they are used for announcements and coverage in the press and media for the „Erste Bank Open 2020“ at the Erste Bank Wiener Stadthalle, quoting the source and copyright (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer).

Campeões em 2015 e 2016 e vice-campeões no ano passado, Melo e Kubot chegam assim a sua quarta final na Áustria – a segunda seguida – e à terceira do ano (Acapulco, Colônia e, agora, Viena). A dupla entra em quadra pela conquista do segundo título da temporada – campeões no ATP 500 de Acapulco, no México, antes da paralisação do circuito em função da pandemia da Covid-19. Recordista brasileiro, Melo soma na carreira 34 títulos, sendo oito ATP 500, dos quais seis com Kubot, com quem já comemorou no total 14 conquistas.

Viena é um torneio sempre muito especial para Melo e Kubot. Além dos dois títulos conquistados, foi na Áustria, em 2015, que Marcelo virou número 1 do mundo. E lá, também, jogou pela primeira vez com o parceiro polonês.

“O jogo de hoje não começamos tão bem quanto os outros, mas mantivemos a calma, buscando uma energia para tentar virar. Acho que conseguimos isso bem no final. Quebramos no 5/4 no segundo set. E aí usamos essa energia de ter tido uma chance de quebrar, para entrar com tudo no match tie-break. Foram vários pontos longos e realmente de alto nível. Acabamos dominando o jogo nos últimos dez minutos, onde foi a parte mais importante para nós”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Volvo, Orfeu Cafés Especiais, Head, Voss, Foxton, Asics, Bolsa Atleta e Confederação Brasileira de Tênis.

Lukasz Kubot (POL)/Marcelo Melo (BRA) (Erste Bank Open 2020 in der Wiener Stadthalle); Copyright: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer, 31.10.2020
Die Fotos sind zur redaktionellen Verwendung für die mediale Ankündigung bzw. Berichterstattung über die Erste Bank Open 2020 in der Erste Bank Wiener Stadthalle freigegeben und stehen unter Angabe der Quelle und Urheberrechte (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer) ausschließlich für diesen Zweck honorarfrei zur Verfügung. The pictures have been approved for editorial use and are available free of charge if they are used for announcements and coverage in the press and media for the „Erste Bank Open 2020“ at the Erste Bank Wiener Stadthalle, quoting the source and copyright (© e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer).

“A lição de hoje foi ficar no jogo o máximo possível, buscando encontrar um caminho. Agora é ir com tudo na final e tentando começar melhor, para não fazer os torcedores sofrerem no match tie-break”, completou Marcelo. 

O jogo – Os alemães saíram na frente na semifinal, com a vitória no primeiro set por 6/4, depois de administrarem a vantagem conseguida com uma única quebra no quinto game. Melo e Kubot foram em busca da reação e da virada. Após um segundo set muito equilibrado, até o 4/4, salvaram uma chance de break dos adversários e, na sequência, quebraram para marcar 6/4 e levar a definição para o match tie-break. E a decisão foi muito disputada. Ponto a ponto. Com vantagem dos dois lados. Até a vitória por 10-8, para comemorar a vaga em mais uma final em Viena.

Em busca da classificação para o ATP Finals – Depois de Viena, Melo e Kubot jogam o Masters 1000 de Paris, que começa nesta segunda-feira (2), na França. A dupla será cabeça de chave número 4, bye na primeira rodada. E segue em busca da classificação para o ATP Finals, torneio que encerra a temporada, entre os dias 15 e 22 de novembro, em Londres, na Inglaterra, reunindo as oito melhores parcerias do ano.

Na Corrida para Londres, Melo e Kubot ocupam o 11º lugar, com 1.280 pontos, lugar no ranking divulgado na segunda-feira (26) pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). No ranking mundial individual de duplas, estão empatados na 12ª colocação, com 5.140 pontos.

Recordista em títulos e semanas no topo do ranking – Recordista brasileiro em número de títulos, com 34 conquistas, e também em semanas no topo do ranking da ATP – 56 -, assim como em participações no ATP Finals – completou sete seguidas -, em 2019, Marcelo somou mais um recorde ao chegar a 500 vitórias, na estreia no ATP 500 de Washington, em julho, passando a ser o 35º jogador de todos os tempos a atingir essa marca.

Entre 2017 e 2018, Marcelo ficou 30 semanas – 25 consecutivas – como líder do ranking mundial individual de duplas da ATP (13 semanas em 2017 – terminando o ano como número 1 – e 17 semanas em 2018). Antes, ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016.

Agora em 2020, no México, no ATP 500 de Acapulco, o mineiro Marcelo conquistou o 34º título da carreira, o 14ª com o parceiro polonês Lukasz Kubot. Pelo 14º ano consecutivo comemora no mínimo um título por temporada. Juntos, Melo e Kubot ganharam pelo menos um torneio por ano desde 2015.

Dos 34 títulos, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de oito ATP 500 e 15 ATP 250. Marcelo, 37 anos, e Kubot, 38 anos, formam parceria desde o início da temporada 2017. Antes, jogaram em torneios como o ATP 500 de Viena, em que foram campeões em 2015 e 2016.

Dezoito vitórias em 2020 – Melo e Kubot somam 18 vitórias em 2020, na estreia no Australian Open e no ATP 250 de Adelaide, na Austrália, duas no Rio Open, quatro em Acapulco, uma no Masters 1000 de Cincinnati, uma no ATP 500 de Hamburgo, uma na estreia em Roland Garros, três no primeiro ATP 250 e uma no segundo em Colônia e três em Viena. A temporada 2019 teve 46 vitórias em 68 jogos. A dupla fechou o ano passado como a segunda melhor parceria do mundo, com 5.000 pontos – atrás apenas dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (8.500). Já no ranking mundial individual de duplas, ficaram entre os top 10 na temporada passada: Marcelo em sétimo, com 4.910 pontos, pela sétima vez consecutiva entre os dez melhores do ano. Kubot, na sexta colocação, com 5.090. Marcelo encerrou 2018 como nono do mundo, foi primeiro em 2017 e 2015, oitavo em 2016 e sexto colocado em 2013 e 2014.

O primeiro título de Marcelo em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2020

Título
ATP 500 – 
Acapulco (México), rápida

Vice-campeonato
ATP 250 – Colônia (Alemanha), rápida

Temporada 2019

Título
ATP 250 – 
Winston-Salem (EUA), rápida

Vice-campeonato
Masters 1000 – 
Indian Wells (EUA), rápida
ATP 500 – Halle (Alemanha), grama
ATP 500 – Beijing (China), rápida
Masters 1000 – Xangai (China), rápida
ATP 500 – Viena (Áustria), rápida

Release para Duna Press: ZDL Marcelo Melo – ZDL
Doro Jr. – MTb 13209 – dorojr@zdl.com.br – 11 984579723
Deborah Mamone – MTb 15148  – deborah@zdl.com.br – 11 3285.5911

Print Friendly, PDF & Email