Paraná: Ação conjunta de forças estaduais combate crime nas divisas

Paraná: Ação conjunta de forças estaduais combate crime nas divisas

A Megaoperação Divisas Integradas III reuniu efetivos policiais do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Foram feitas 2.630 abordagens e 23 prisões. As ações aconteceram em 12 pontos de fiscalização nas divisas do Estado do Paraná.

A atuação conjunta das forças estaduais de segurança do Paraná na Megaoperação Divisas Integradas III aponta, da última quinta-feira até meio-dia deste sábado (31/10), o resultado de 2.630 abordagens a pessoas e 23 prisões em todas as áreas de divisas entre o Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Nas ações, que aconteceram em 12 pontos de fiscalização nas divisas do Estado, além dos locais de cumprimentos de mandados, 4,4 mil pacotes de cigarros contrabandeados foram apreendidos. Minas Gerais, que faz divisa com o estado paulista, também faz parte da terceira fase da operação. 

Nos três dias de ações práticas e estratégicas contra o crime organizado, foram cumpridos 26 mandados judiciais nos municípios paranaenses que compreendem as regiões de trabalho da operação. Na operação, que também incluiu abordagens e flagrantes, os policiais militares e civis prenderam 23 pessoas.

Para o secretário da Segurança Pública do Paraná, coronel Romulo Marinho Soares, os resultados são positivos para toda à sociedade paranaense. “As ações da segurança pública, junto com outras tropas estaduais e federais, estão cada vez mais firmes e fortes. Com isso, nosso objetivo é proporcionar a percepção de segurança na população e mostrar que várias forças trabalhando de forma integrada é o caminho para melhorarmos, cada vez mais, nossos índices. Esses primeiros resultados mostram o diferencial importante que estamos construindo juntos”, declarou o secretário.

Durante a operação, drogas foram tiradas de circulação: 552,3 quilos de diversas substâncias ilegais, além de uma arma de fogo, munições e oito veículos, foram apreendidos.

“A operação foi uma das grandes iniciativas da Secretaria da Segurança Pública do Paraná, pois envolve todas as forças, ou seja, a PM, a Polícia Civil, a Polícia Rodoviária, a Polícia Federal, num dispositivo de proteção nas divisas com São Paulo, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina”, destacou o comandante-geral da Policia Militar do Paraná, coronel Péricles de Matos.

“Os resultados estão aí, mas o mais importante é que essas atividades se manterão de forma ininterrupta, garantindo a segurança para nossos paranaenses, posto que o posicionamento estratégico do nosso estado permite desequilibrar toda a logística criminal quando operações dessa natureza são empreendidas”, complementou.

O delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Silvio Jacob Rockembach, também salientou o trabalho conjunto como ponto forte da megaoperação. “A integração entre as forças de segurança é fundamental para a efetividade do combate à criminalidade. A PCPR sempre participa e participará de ações como estas, além de atuar diariamente com firmeza contra o crime organizado em todas as regiões do estado e nas divisas”, afirmou.

MEGAOPERAÇÃO – A parceria é uma iniciativa entre as secretarias estaduais de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) e do Paraná (Sesp-PR), juntamente com as Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp-MG) e do Mato Grosso do Sul (Sejusp-MS), as respectivas polícias Militar, Civil e Científica, bem como o Corpo de Bombeiros Militar e Departamentos de Inteligência. Na esfera federal, os trabalhos contam com o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Federal e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

No Paraná, a coordenação geral da terceira fase da  megaoperação foi da Secretaria da Segurança que, junto com os comandos do Departamento de Inteligência, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, definiram as estratégias de atuação contra o crime organizado.

O coordenador estadual da operação pelo Paraná e chefe do Centro de Inteligência Estratégica da Secretaria da Segurança Pública, coronel Luiz Augusto de Oliveira Santiago, ressaltou o sucesso da operação. “Foi um marco nesse tipo de operações combinadas entre secretarias de segurança pública que servirá de base para futuras ações, particularmente aqui no Paraná. Os resultados são a comprovação de que o nosso trabalho, diuturnamente, é sério e comprometido com a segurança da sociedade, e os dados obtidos são tão somente o fruto desse bom trabalho realizado. A integração, no entanto, é o grande ganho da operação”, disse.

A operação contou, também, com o auxílio do Centro Integrado de Comando e Controle da Segurança Pública, que atuou em conjunto com o Departamento de Inteligência do Paraná (Diep) e demais agências do Estado no acompanhamento e assessoramento das ações. “O Centro Integrado foi idealizado justamente para momentos de grandes eventos e operações nos quais o trabalho de forma integrada é necessário. Assim, produzimos informações que envolvem toda a operação para dar suporte aos que estão na linha de frente, e desta forma, alcançarmos grandes resultados operacionais”, disse o coordenador do Centro Integrado de Comando e Controle, capitão André Henrique Soares.

SEGURANÇA E TECNOLOGIA – Durante a operação, houve uma live planejada pelos Centros de Inteligência dos estados participantes da ação. Nessa reunião online, as forças de segurança atuantes trocaram informações e relatos do primeiro dia da terceira fase da Megaoperação Divisas Integradas. No Paraná, o assessor de tecnologia da informação e comunicações da Sesp, major João Batista Tsuruda Amaral, coordenou a transmissão ao vivo.

“Primeiramente, identificamos os pontos das nossas divisas onde a conexão de internet suportaria a live, para que os policiais que estão fazendo o trabalho da linha de frente no Paraná pudessem relatar, em tempo real, para os demais estados atuantes da megaoperação, como foram as ações do dia”, explicou o major Tsuruda. “Essa troca de informação integrada é um bom exemplo do uso da tecnologia em prol da segurança pública.”

PARTICIPAÇÃO – Além dos batalhões de área, coordenados pelos Comandos Regionais, atuaram as equipes do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), do Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV), do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), do Batalhão de Fronteira (BPFron), do 2º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pelo Norte Pioneiro e Norte do Paraná, e do 3º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pela região Noroeste do Estado.

Pela Polícia Civil do Paraná participam efetivos da 7ª, 8ª, 9ª, 14ª, 19ª, 20ª, e 22ª Subdivisões Policiais, além da atuação do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Núcleo de Operações com Cães (NOC), da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e do Grupamento de Operações Aéreas (GOA).

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email