Paraná: Gestão de microbacias atende 1,7 mil famílias na região de Campo Mourão

Paraná: Gestão de microbacias atende 1,7 mil famílias na região de Campo Mourão

O programa visa a manutenção do meio ambiente, uso racional dos recursos naturais, conservação dos recursos hídricos, solo, atmosfera e da qualidade de vida das pessoas. Investimento na região soma R$ 2,7 milhões.

O Programa Estadual de Gestão de Solo e Água em Microbacias já se estende por 13 municípios da região de Campo Mourão. Foram investidos R$ 2,7 milhões em obras nas comunidades rurais, beneficiando 1.775 agricultores familiares.

O programa é coordenado pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e conta com a participação de diversas instituições, entre as quais o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná).

O papel dos extensionistas é organizar os comitês gestores regionais e locais. Além disso, seleciona as microbacias que vão receber as benfeitorias e dão a orientação técnica necessária para os agricultores.

O programa visa a manutenção do meio ambiente, uso racional dos recursos naturais, conservação dos recursos hídricos, solo, atmosfera e preservação da qualidade de vida das pessoas. Ele prevê ações que vão desde a construção de terraços à implantação de fossas sépticas e melhoria no abastecimento de água das famílias rurais.

TERRAÇOS – Em Engenheiro Beltrão, a microbacia Rio Claro foi escolhida para os trabalhos de conservação dos recursos naturais. Agricultores e extensionistas definiram um plano para implantar 12 práticas diferentes, com um valor previsto de R$ 224.499,38 (R$ 209.999 do Estado e o restante como contrapartida do município).

Terraços estão sendo reformados e os acessos a algumas propriedades também são melhorados. Com os recursos do programa serão adquiridas 378 toneladas de calcário e 43 toneladas de adubo fosfatado. A comunidade vai comprar um distribuidor de calcário e adubo orgânico e um equipamento para distribuir fertilizantes.

Ocorrerá também a colocação de 900 metros de cercas para proteger mananciais e matas ciliares. Além da proteção de duas nascentes, o projeto prevê ainda construção de seis fossas sépticas na comunidade. Esta ação deve refletir em melhorias para 56 famílias da microbacia.

Os extensionistas acreditam que, com esse trabalho, é possível diminuir a poluição da água, a erosão do solo e o assoreamento do leito dos rios, contribuindo ainda para a preservação da biodiversidade das comunidades rurais e manter a capacidade reprodutiva dos recursos naturais.

NASCENTE PROTEGIDA – Em Iretama, o Microbacias já investiu mais de R$ 200 mil, beneficiando 40 famílias de agricultores. O produtor Orivaldo dos Santos é um deles. Ele passou a contar com uma nascente protegida na propriedade a partir da implantação do programa.

“Para nós produtores é muito importante receber esse projeto. Sem a assistência técnica do IDR-Paraná a gente fica sem saber que caminho seguir”, disse. “A gente tinha essa nascente e nem prestávamos os devidos cuidados. Agora já fizemos replantio de mudas de árvores e a proteção para termos água de melhor qualidade.”

O Programa Estadual de Gestão de Solo e Água em Microbacias é resultado de acordo do Governo do Estado com o Banco Internacional para Reconstrução de Desenvolvimento (BIRD).

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email