Novo Mapa de Risco mantém Estado do Rio classificado como baixo risco para Covid-19

Novo Mapa de Risco mantém Estado do Rio classificado como baixo risco para Covid-19

A Subsecretaria Extraordinária de Covid-19 divulgou nesta quarta-feira (04/11) a nona edição do Mapa de Risco da Covid-19. Nele, o Estado do Rio permanece classificado em bandeira amarela, que representa baixo risco da doença. Apenas uma das nove regiões do estado apresentam risco moderado, com bandeira laranja: Baixada Litorânea. Nessa região vivem 6,68% da população do estado.
As oito regiões classificadas em amarelo, de baixo risco para Covid-19, são: Metropolitanas I e II, Baía da Ilha Grande, Médio-Paraíba, Noroeste, Norte, Centro-Sul e Serrana. Juntas, elas concentram 93,32% da população do estado.

No geral, houve em todo o estado uma redução nos números de óbitos (-47,59%) e casos (-33,46%) na comparação entre as duas semanas analisadas. A taxa de ocupação de leitos de enfermaria destinados aos pacientes de Covid ficou em 37,36%, e a de leitos de UTI, em 49,84%. Apenas a previsão de esgotamento de leitos de UTI e a taxa de positividade para Covid (dois dos seis indicadores usados no cálculo) pontuam e ainda mantêm o Estado do Rio na bandeira amarela.

Na Região da Baixada Litorânea, houve aumento de 100% no número de óbitos e uma taxa de positividade para Covid-19 de 33,24%. Porém, a região também apresentou queda de 40,32% nos casos e taxa de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria, respectivamente, de 35,17% e 31,76%, mantendo a classificação de risco moderado.

Danilo Klein, médico Superintendente da Subsecretaria, explica como os dados afetam a classificação.

– Somente a Baixada Litorânea retrocedeu para a bandeira laranja em todo o estado, atingindo 11 pontos no total. Isso ocorreu devido a um aumento no número de óbitos. Da semana epidemiológica 41 para a 43, foram mais sete óbitos em Saquarema e dois em Rio das Ostras. Apesar da oscilação positiva no número de óbitos, em números absolutos, ele ainda é pequeno. Requer cuidado, mas ainda é pequeno – disse Klein.

Apesar do aumento de óbitos na Baixada Litorânea, o estado em sua totalidade está em equilíbrio.

– O Rio de Janeiro se mantém em um platô epidêmico. Por semana, são cerca de 1500 internações e 400 óbitos por SRAG. Ou seja, não houve aumento ou queda quando analisamos o estado como um todo, o que faz com que se mantenha o risco baixo – esclarece Klein.

A edição anterior do Mapa de Risco, a oitava, que foi divulgada em 19 de outubro, mostrava as Regiões Norte e Centro-Sul em bandeira laranja. A nona edição compara as Semanas Epidemiológicas 43 (18 a 24 de outubro) em relação à 41 (04 a 10 de outubro). Taxa de positividade de pacientes testados para coronavírus; variação de casos e óbitos por SRAG; taxa de ocupação de leitos destinados a SRAG; e previsão de esgotamento de leitos de UTI para SRAG são os indicadores utilizados na análise.

As bandeiras e os riscos indicados variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Cada nível de risco representa um conjunto de recomendações de isolamento social.

A seguir, o painel de indicadores da Covid-19 e a nota técnica 11 elaborada pela Subsecretaria Extraordinária de Covid-19.

Painel de indicadores da COVID-19 [04/11/2020].Confira a nota técnica atualizada.

Fonte: Governo do Rio de Janeiro

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email