Goiás: Governadores projetam construção do Corredor Centro-Leste

Goiás: Governadores projetam construção do Corredor Centro-Leste


Objetivo é utilizar recursos da renovação da concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) para implantar novo corredor de escoamento. Com investimentos de R$ 3,1 bilhões, obra pode beneficiar competitividade das indústrias nos Estados de Goiás, Espírito Santo e Minas Gerais, ao ofertar “alternativa de transporte mais barato e célere”, conforme destaca Caiado.


O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, recebeu na manhã desta segunda-feira (23/11) o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, em uma reunião no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. Eles discutiram projeto para a construção do Corredor Centro-Leste que traria benefícios para os dois estados e Minas Gerais. 
 
Na avaliação do governador Ronaldo Caiado, a proposta dará maior competitividade à indústria goiana. “Oferta uma alternativa de transporte mais barato, mais célere”, disse. Segundo estudo apresentado pelo governo do Espírito Santo, é preciso investimento de R$ 3,1 bilhões, aproximadamente, para a efetivação do projeto, recursos que podem ser provenientes da renovação da concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). O novo trecho corresponde ao contorno da Serra do Tigre, que vai de Patrocínio a Sete Lagoas, em Minas Gerais.
 
Caiado lembrou que Goiás ainda conta com outras duas alternativas de escoamento da produção do Estado. Uma pelo Porto do Maranhão e outra pelo de Santos. Porém, o governador destacou vantagem do Corredor Centro-Leste, que leva ao Porto do Espírito Santo. 

“Teremos custo e trajeto menores e ainda um porto que tem uma capacidade de receber grandes navios”, ressaltou. No levantamento feito pelo governo do Espírito Santo, com a construção do novo corredor, a capacidade de escoamento da produção teria um incremento de 21 milhões de toneladas por ano. Além disso, só no trecho entre Araguari (MG) e Vitória (ES), haveria uma redução no transporte de quatro para dois dias. “Com pouco investimento, a gente viabiliza uma logística de transporte de grãos e de produtos industriais com muita competitividade”, afirmou Renato Casagrande.
 
A proposta oficial deve ser apresentada ao governo federal no início de 2021. O governador do Espírito Santo agradeceu Caiado pela receptividade e ressaltou a importância da união entre os Estados para consolidar o projeto. “Queremos unificar a ação de Goiás, Minas Gerais e Espírito Santo em torno de um projeto que melhore a eficiência logística do Brasil”, enfatizou.
 
Também participaram da reunião os secretários de Estado de Goiás Adriano da Rocha Lima (Governadoria), Antônio Carlos de Souza Lima Neto (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Adonídio Neto (Indústria, Comércio e Serviços), César Moura (Retomada) e Cristiane Schmidt (Economia); do secretário de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo, Marcos Kneip; do vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Afonso; da presidente da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes), Cristhine Samorini; dos representantes do Grupo Imetame Etore Cavallieri (presidente) e Giuliano Favalessa (diretor operacional); e do ex-senador Ricardo Ferraço.

Fonte: Governo de Goiás

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email