O ex-engenheiro de corrida de Hamilton revela como o heptacampeão teve um “momento eureca” em 2012

O ex-engenheiro de corrida de Hamilton revela como o heptacampeão teve um “momento eureca” em 2012

O que torna um campeão? No último episódio do podcast F1 Nation, o ex-engenheiro de Lewis Hamilton na McLaren, Mark Temple, fala sobre os primeiros anos da carreira do heptacampeão da Fórmula 1 e como ele se adaptou ao auge do automobilismo.

Temple, que agora é o principal engenheiro de desempenho automotivo da McLaren e trabalhou na equipe em funções de engenharia de 2003 em diante, revelou que Hamilton teve um “momento eureca” em 2012, um ano depois que a Pirelli se tornou o único fornecedor de pneus da F1 – e quatro anos depois dele ganhou seu título de estreia.

“Em 2011, a Pirelli apareceu e isso meio que mudou a maneira como você tinha que dirigir na corrida”, explica Temple. “A ideia de que você tinha que dirigir mais devagar para ir rápido era bem estranha para Lewis. Foi um ano difícil para ele fora dessa coisa em particular – havia muita coisa acontecendo em sua vida – mas isso foi uma coisa que realmente o desafiou mais do que qualquer outra coisa naquele momento”.

“Principalmente porque seu companheiro de equipe era Jenson [Button], que era o mestre em ir rápido enquanto dirigia devagar. E isso meio que o perturbou um pouco, mas então … o ponto em que me lembro dele apenas tendo aquele momento eureca foi em Barcelona”.

“Portanto, 2011 estava resistindo à necessidade de dirigir mais devagar para cuidar dos pneus de uma maneira particular, mas em 2012, Barcelona, ​​[depois] daquela fantástica pole position, fomos mandados para o final da grade por causa de um erro de abastecimento na qualificação”.

“A única maneira de passar em Barcelona, ​​você não pode ultrapassar, é superar todos os outros usando o gerenciamento de pneus e isso foi como uma espécie de ponto de ‘ligar’ … e ele colocou seu foco nisso e mudou de direção e de aquela corrida pelo resto daquele ano e sua carreira, ele realmente entendeu a importância disso”.

Barcelona 2012 foi a corrida que Pastor Maldonado venceu de forma espetacular, enquanto Hamilton terminou em oitavo lugar – à frente de Button – no final do grid.

“De certa forma, isso caracteriza Lewis: ele está no seu melhor quando está com o pé atrás”, continua Temple.

“Se ele teve uma sexta-feira ruim, o companheiro de equipe deve estar preocupado com o sábado. Se ele tiver um sábado ruim, então o companheiro de equipe deve estar preocupado com o domingo, porque ficar recuado apenas – haveria um pouco de estresse, frustração, desabafo no rádio – todos nós ouvimos … Lewis no rádio – mas tire isso do sistema dele, coloque o jogo para funcionar, e o próximo estágio é que ele sai e o quebra”, diz Temple.

Agora que Hamilton dominou a temporada de 2020, ele irá somar ao seu recorde de 94 vitórias na carreira nas últimas três corridas da temporada? O próximo é o Grande Prêmio do Bahrain, neste fim de semana.

Fonte: Fórmula 1

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email