Opinião

Fundação Palmares refaz lista de Personalidades Negras

Quando da criação da Fundação Palmares, acreditava-se que seria uma fundação ligada ao governo federal para promover, preservar e valorizar o um terço de nossa miscigenação, a parcela afrodescendente. Porém, o que se observava era um certo distanciamento de tal propósito, suas políticas e posições estavam muito mais alinhadas com os ditos Movimentos Negros e lembremos com bastante ênfase: Movimento Negro não detêm a prerrogativa de falar pelos negros, quando tendem a seguir visões e posições extremamente políticas. A mim por exemplo não representava.

Tratar da cultura, das tradições, da história do negro no Brasil, sempre foi uma matéria extremamente problemática por não se dar o devido respeito e direito ao que o negro trouxe como bagagem cultural, musical, religiosa, social etc., para a formação do Povo Brasileiro. Negro sempre foi visto como aquela parcela que veio trazido para o Brasil para substituir a mão de obra indígena nas lavouras de cana de açúcar, e posso afirmar isto com base na minha experiência de três décadas de sala de aula como professor de História, antes de também ser jornalista.

Simplesmente remetem o negro a uma situação subalterna e demeritória, a própria sociedade, inclusive negra, sempre colocam pechas de peso negativo na cor negra ou preta: Negro de Alma branca, A coisa tá Preta, Mercado Negro etc. E sinceramente não via na dita Fundação um viés que pudesse modificar tal visão, apenas observava a valorização de personalidades e pensamentos, políticas e vieses com tendencialismo puxado um pouco para a Esquerda, que detinha o poder no momento.

Desta forma como disse acima, a Fundação Palmares não me representava como afrodescendente que sou, pois, não concordava com as posturas errôneas e focadas em posicionamentos políticos, quando ela deveria ser a Casa de Defesa da Cultura, Música, Religiosidade, e principalmente do Papel do SER HUMANO NEGRO nessa tríade étnica que forma o Brasil, tríade esta que se amplia mais, ao vermos a miscigenação como um arcabouço formador do Povo do Brasil e eu como MULATO que sou, adentro neste foco.

Porém, sempre entendi que criar uma lista de personalidades tem dois focos: valorizar o trabalho pontual de um cidadão, no caso aqui tratado, de um afrodescendente, ou então um Panteão de Personalidades que tiveram papel relevante para aquela parcela da população que tal organismo representa, e foi neste mote que bate a dúvida que sempre me atormentou: Por que colocar, Nordestinos? Nada contra o povo do Nordeste, mas, que se forme uma Fundação ou um organismo para dar valor a cultura nordestina, como temos nos Centros de Tradições Gaúcha – CTG; pessoas vivas? Sempre me perguntava, por que disto, pois o ser humano vivo é passivo de acertos e erros, acertou? Coloca na Lista… Errou! Tira? Algo totalmente inconcebível e descabido de se fazer. Mas, era assim que se via até o dia de hoje, 01 de dezembro de 2020, quando entravam nomes ao bel prazer dos representantes da fundação, a meu ver, muitos sem nenhum critério. O que fez um político de esquerda, de relevante, para estar na lista, só por ser político? De esquerda? Do PT?

Estando vivo, caberia, quando muito, receber uma comenda, uma diplomação por algo relevante feito em favor da sociedade afrodescendente do Brasil ou do Brasil como um todo, pois, existem inúmeros negros no nosso país que fizeram coisas de gigantesca relevância, não só para os afros, mas para toda a população e para o país. Mas o que eu via nessa referida lista de personalidades era, como falo – o PUXADINHO DA SARDINHA PARA A BRASA DA ESQUERDA. Algo intoleravelmente aceito, visto que girava, como ressalto a toda hora neste artigo, como sendo uma “torinha de madeira na Fogueira de Vaidades” de determinadas pessoas que se “acham”, por coisas que “acreditam” terem feito por relevância, ou não e so tiveram mesmo o nome colocado por estarem ligados ao viés esquerdista político (se é para enfiar o dedo na ferida? Ai povo do MIMIMISMO, acabei de fazer.)

Dai, surge a Portaria nº 189, de 10 de novembro de 2020 e sua nota técnica nº 2, que vem, a meu ver, MORALIZAR e dar o devido destaque a esta lista de Personalidades, retirando, de cara, as pessoas ainda vivas – recomendo que se querem entrar na lista… a prerrogativa básica agora é morrer…, analisando os nomes que lá estão com bases técnicas e criteriosas e calcado em legislação, agora e para frente, ter a inclusão de nomes de relevância com tais critérios descritos por lei, antes, parecia uma lista de amigos, enxertada de personalidades, desculpem – Fora os Amigos.

Aos relevantes personagens que de lá saírem, e temos vários no campo da música, cultura, artes etc. que merecem ser aplaudidos por suas ações e contribuições, não só à cultura negra, mas à cultura brasileira e, quiçá, mundial, estendendo-se aí a outros campos do conhecimento humano, alguns sou fã, tenho de afirmar.

Como historiador e Jornalista, ainda me debato com determinados pontos desta lista que, se fosse eu o dono da caneta, retiraria, por não terem bases históricas concretas, a não ser o imaginário de alguns, e se fosse seguir tal visão, incluiria o Saci Pererê que faz parte não só do imaginário, mas também da Literatura nacional, nas penas de dois grandes escritores – Monteiro Lobato e Ziraldo. Mas, provocações a parte a quem hoje defende o estilo literário MIMIMISMO, não sou o dono da caneta e prefiro usar a minha para meus artigos, crônicas e aulas.

Só posso aqui deixar os meus parabéns a este verdadeiro resgate das personalidades negras brasileiras e mundiais que a partir de hoje, passarão a formar tal lista, que deve ser celebrada sim, com vivas e alvíssaras, por estar trazendo, de cara, um dos maiores Maestros que já tivemos no Brasil – Pixinguinha, resgatando o papel da FEB, na figura do cabo Marcilio, e enfiando A FACA NA CAVEIRA, na figura do “Negão” do BOPE – e que gostoso é ver cair por terra essa “palhaçada” do “Politicamente Correto” e poder dizer o termo mais que carinhoso –  NEGÃO, com toda a propriedade que tem – representar um Negro Altivo e não o MIMIMISMO hipócrita de racismo, pois quando um negro chama um branco de Branco Azedo, não vejo ninguém do Movimento Negro repreender ele pelo racismo reverso contra o branco.

Fica aqui da minha parte e da parte de todo o corpo editorial da DUNA Press Jornal e Magazine os parabéns pelo resgate, certeiro, desta Portaria, executada pelo Presidente da Fundação Palmares – Sr. Sergio Nascimento de Carvalho, valorizando a figura do negro no Brasil.

E para encerrar… “CACILDIS”, ainda vem muita gente boa para rechear esse QUITUTE que se tornou essa PÉROLA NEGRA – A Lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares

E tenho dito.


Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto acesse o link abaixo e aplique o código LUGUCH e obtenha o desconto promocional

https://dunapress.org/subscription-plan/?aff=luizgustavochrispino


Clique AQUI NO LINK e adquira na Amazom.com – em E-book e Impresso

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo