Para homens de valor e honra: Não desistam do presidente Jair Messias Bolsonaro

Para homens de valor e honra: Não desistam do presidente Jair Messias Bolsonaro

Dedico este artigo a meu primo: Marco Antônio da Silva (TOM), que junto ao Eterno esteja sempre sua alma

Filhos de Gondor! De Rohan! Meus irmãos.

Eu vejo nos vossos olhos o mesmo medo que me poderá tirar o coração. Um dia poderá vir quando a coragem dos homens falhar, quando nos abandonarmos os nossos amigos e quebrarmos todos os nossos laços de união, mas esse dia não é hoje.

Uma hora de lobos e escudos partidos quando a era do Homem se está a desmoronar, mas esse dia não é hoje!

Neste dia nós lutaremos. Por todos aqueles que nos são queridos nesta boa terra, eu peço-vos para ficar, Homens do Ocidente! (grifo nosso) (Discurso de Aragorn, O retorno do Rei, de J.R.R Tolkien)

Nunca gostei do termo “bolsonarismo” e tenho duas boas razões para isso: primeiro, a mídia quando o utiliza, geralmente o faz para desvincular o presidente Jair Messias Bolsonaro do conservadorismo e, consequentemente, das bandeiras que ele tanto defendeu na corrida presidencial. Querem rotular o presidente como um mero populista e oportunista.

O presidente acredita que uma população armada nunca será escrava de um estado totalitário, ato que nem de longe pode ser visto como popular; Vivemos tempos de homens fracos e covardes, dependentes do estado-leviatã e manipulador.

Segundo, soa como se todos os esforços para destruir o politicamente correto, a cultura de morte (assassinato e tortura de crianças, “aborto”), e tantos outros males, devessem vir exclusivamente do poder executivo.

Muitos levantam para atacar, fingindo que seus insultos são conselhos, tentando convencer seus leitores e seguidores que o presidente é um mero gestor, alguém que desistiu da luta contra o socialismo.

Se as famílias conservadoras não compreenderem que elas devem resgatar o protagonismo que lhes é devido, pouca esperança há de melhorias para além do plano econômico.

Grande parte dos jornalistas, sempre que desejam tecer elogios a algo feito pelo governo federal, colocam entrelinhas que foi APESAR do Presidente e quando algo ocorre que merece críticas e cobranças, o tom é que tudo ocorreu GRAÇAS A INCOMPETÊNCIA DE BOLSONARO.  Nenhum homem é infalível e devemos ser prudentes e céticos em relação a qualquer político, todavia, evitar defender a verdade para conseguir os aplausos de isentões e meninos birrentos me parece desonesto.

Como eu escrevi no artigo A ditadura socialista brasileira, publicado pelo jornal Gazeta do Povo: “O presidente Jair Bolsonaro é um servo da Constituição, um cativo da democracia e, agora, a voz da verdade, pois desde o começo alertou sobre os perigos que estavam por vir. Há tempo para tudo debaixo do sol, e falhamos por não saber o tempo de levantar a voz contra nossos algozes e exigir o protagonismo e o respeito que merecemos. Estamos a um passo de sermos, nós, conservadores, considerados criminosos por estas ditaduras socialistas. Como diria meu pai: A vida é mutável tanto para o bem como para o mal; portanto, com esperança é que devemos acreditar em dias melhores, ajoelhados diante de Deus e com punhos cerrados contra os homens.” (grifo nosso).

O ativismo judicial segue forte em sua busca por destruir e corromper as ações do governo federal. Rodrigo Maia segue desejando ser visto como um grande iluminado, um defensor da liberdade. A mídia socialista, não diferente da nazista, cria uma nova mentira todos os dias, pois ela compreende que uma mentira repetida mil vezes se torna uma verdade quase que absoluta.

O conservadorismo não pode ser sombra de uma figura política, mas também não pode abandonar quem tem lutado pela liberdade, família e por um país forte e soberano.

É necessário sair da bolha e lutar para que as idéias que defendemos sejam entendidas por todos, desde o mais humilde ao mais instruído. A direita precisa ter grandeza de espírito e aceitar entre suas fileiras quem deseja derrotar a censura, ditadura socialista, a cultura de morte e o politicamente correto.

Lutemos junto ao presidente por nossa soberania, liberdade e progresso.


Print Friendly, PDF & Email