News

Ex-oficial das Forças Especiais norte americana alerta para táticas de revolução de cores usadas contra Donald Trump

Compartilhar

USA Eleições 2020 |

Táticas de revolução marxistas que têm sido usadas contra líderes estrangeiros estão agora sendo usadas pelos oponentes do presidente Donald Trump para expulsá-lo, alertou um ex-oficial das forças especiais.

“Uma revolução de cores é uma tática para afetar a mudança de regime”, disse o oficial, que pediu para permanecer anônimo, ao jornal The Epoch Times. “O que eu vejo acontecendo é uma insurgência marxista que está usando uma revolução de cores para afetar a mudança de regime.”

O Projeto de Integridade de Transição 2019, segundo o oficial, é um indicador de que os eventos da eleição presidencial deste ano foram “orquestrados de forma transparente” por “elementos marxistas dentro do Partido Democrata e seus aliados marxistas em governos estrangeiros”.

“Pode não ter caído como eles queriam, porque sempre que você realizar uma operação como esta, o inimigo terá um voto. Mas o plano era que não vamos conceder a eleição. O objetivo aqui nunca foi a presidência”, disse o oficial. “O objetivo da oposição era fundamentalmente mudar o país. Eles estão atacando a eficácia da Constituição.”

Para alcançar seu objetivo, a oposição anti-Trump concentrou seu principal esforço em afetar a eleição, disse o oficial.

Algumas das mais notáveis revoluções de cores ocorreram em meio a tumultos provocados por eleições disputadas. Em 2004, protestos em massa na Ucrânia após alegações de uma eleição presidencial fraudulenta, que inicialmente mostrou o pró-Rússia Viktor Yanukovych como vencedor, levaram a uma nova votação vencida por Viktor Yushchenko, o candidato apoiado pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

O oficial disse que as táticas usadas pela oposição anti-Trump podem ser encontradas no guia das Forças Especiais para derrubar um governo.

Imagem em destaque: O presidente Donald Trump observa durante uma cerimônia que apresenta a Medalha Presidencial da Liberdade ao lutador Dan Gable no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, em 7 de dezembro de 2020. (Saul Loeb/AFP via Getty Images)

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Paulo Fernando De Barros

Colunista e editor para a Noruega em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo