News

Paraná: Teletrabalho gera R$ 71,4 milhões de economia aos cofres públicos

Maior redução foi com despesas de viagens, que caíram R$ 50 milhões. Já as despesas fixas apresentaram redução de R$ 21,4 milhões de janeiro a outubro de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado.

De janeiro a outubro deste ano, o Governo do Estado economizou R$ 71,4 milhões com a implantação do teletrabalho. A redução de gastos é referente a economia gerada nas viagens e também nas despesas fixas correntes da estrutura governamental.

Os resultados foram apresentados pelo Grupo de Trabalho Inovação na Gestão de Pessoas, que analisou o impacto do teletrabalho no período da pandemia.

“Estamos apresentando o balanço desta atividade nova que a pandemia nos impôs. Um balanço da qualidade dos serviços, do custeio e, sobretudo, de como se dará esta relação de teletrabalho, que nós acreditamos que veio para ficar”, afirmou o chefe da Casa Civil do Governo, Guto Silva.

A maior queda foi registrada em despesas com viagens. Em 2020, a Central de Viagens do Paraná registrou, de janeiro a outubro, 78,4 mil deslocamentos de servidores, que custaram aos cofres estaduais R$ 111,1 milhões. Isso representa uma redução de aproximadamente R$ 50 milhões em relação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados foram 148 mil deslocamentos a um custo de R$ 162 milhões.

Já as despesas fixas apresentaram queda de R$ 21,4 milhões de janeiro a outubro de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado. O Estado gastou R$ 238, 6 milhões com serviços de limpeza e conservação, água e esgoto, comunicação de dados, energia elétrica e serviços de telecomunicação em 2020. As quedas mais significativas foram com os serviços de energia elétrica e de água e esgoto.

PRODUTIVIDADE – No período analisado, identificou-se que 54% dos 167 mil servidores ativos trabalharam em regime de teletrabalho. O estudo verificou que não houve queda na produtividade das atividades exercidas pelos servidores no período.

O volume de protocolos abertos em 2020 foi 11% superior ao registrado em 2019. E o tempo para execução dos mesmos foi inferior em todos os patamares, desde a emissão de pareceres até análise e assinatura final. Enquanto a análise de processos demorava cerca de 190 horas em 2019, em 2020 a média caiu para cerca de 90 horas.

PERCEPÇÃO DO CIDADÃO – Para analisar a percepção do cidadão sobre o trabalho remoto dos servidores estaduais, a Celepar promoveu uma enquete pelo portal Piá, questionando os usuários sobre a satisfação com os serviços utilizados e também se as pessoas utilizaram os serviços públicos de forma digital no período. 40% dos que responderam à enquete utilizaram serviços públicos nos últimos seis meses e 62% avaliaram os serviços como ótimos ou bons.

“Neste ano delicado tivemos que nos adaptar rapidamente ao teletrabalho, possibilitando que tanto os nossos colaboradores quanto servidores públicos estaduais conseguissem trabalhar de forma remota com o uso da tecnologia, um grande feito em parceria com o Governo do Estado”, ressaltou o presidente da Celepar, Leandro Moura.

FUTURO – Em 2021, o Grupo de Trabalho, formado pela Casa Civil, Secretaria da Administração e da Previdência, Controladoria Geral do Estado e Procuradoria-Geral do Estado, segue de forma permanente, para repensar o teletrabalho no funcionalismo público.

“Este grupo prossegue trabalhando para avaliar a economia, o desempenho do teletrabalho, para que possamos melhorar o serviço prestado ao cidadão paranaense e, ao mesmo tempo, mantendo os servidores motivados”, afirmou Guto Silva.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo