News

Ninguém deve ficar de fora

Noruega |

Você se lembra dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU? No ano 2000, todos os estados membros da ONU concordaram em trabalhar para atingir oito objetivos. O objetivo geral era reduzir pela metade a proporção de pessoas que viviam com menos de dez coroas por dia.

As demais metas estavam relacionadas à educação, saúde, postura da mulher e meio ambiente.

Não faltaram avisos de que os objetivos eram irrealistas e muito exigentes. Mas mesmo com um grande aumento no número de cidadãos mundiais, conseguimos juntos atingir a meta de reduzir pela metade a proporção dos que viviam na extrema pobreza e dos que morriam de fome quando chegamos em 2015.

Embora tenhamos alcançado várias metas e feito grande progresso em outras, ainda havia muito a ser feito. E, mais seriamente, nos últimos anos também vimos o número de pessoas morrendo de fome novamente aumentar.

Em 2015, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU foram substituídos pelos objetivos de sustentabilidade. Esses 17 objetivos são uma descrição global do trabalho até 2030, e o primeiro objetivo é o mais importante: “Erradicar toda a pobreza.”

O princípio norteador das metas de sustentabilidade é que ninguém deve ficar de fora. Deve ser importante para o nosso trabalho de desenvolvimento e, portanto, intensificamos nossos esforços para ajudar os grupos mais vulneráveis.

Mais de um bilhão de pessoas têm algum tipo de deficiência. É exigente o suficiente para viver com uma deficiência na Noruega. Então imagine como é em um país em desenvolvimento, onde há poucas sidas e acesso precário aos cuidados de saúde. Portanto, a Noruega está agora fortalecendo seus esforços para este grupo.

Estamos criando um item de orçamento separado este ano para grupos vulneráveis ​​de 466 milhões. 260 milhões desses fundos irão para esforços para ajudar pessoas com deficiência em países em desenvolvimento.

Também estamos criando um programa de ajuda separado contra a escravidão moderna. Quando ouvimos a palavra “escravidão”, nossos pensamentos voltam aos tempos coloniais. O fato é que hoje são cerca de 40 milhões que vivem em trabalhos forçados, escravidão moderna, são vítimas do tráfico de pessoas ou de trabalho infantil. Portanto, fortaleceremos os esforços noruegueses contra a escravidão moderna e reuniremos nossos esforços em um novo programa de assistência ao desenvolvimento.

O procurador estadual Rudolf Christoffersen tem contribuído muito para punir os traficantes aqui na Noruega. Ele disse que a escravidão moderna é “algo que você não vê até acreditar”.

Existem muitas pessoas marginalizadas no mundo. Uma proporção crescente vive na África Subsaariana. Portanto, é preocupante que a ajuda global a esses países tenha diminuído nos últimos anos. A Noruega ajudará a reverter essa tendência!

É por isso que estamos fortalecendo nossos esforços nesses países – onde vive a maior proporção dos mais vulneráveis. O motivo é simples: ninguém deve ficar de fora!

Fonte: Norway GOV. – Imagem em Destaque: Foto- Innsendt

Print Friendly, PDF & Email

Paulo Fernando De Barros

Colunista e editor para a Noruega em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo