Paraná: Nossa Gente auxilia famílias em situação de vulnerabilidade social

Paraná: Nossa Gente auxilia famílias em situação de vulnerabilidade social

Em razão da pandemia, neste ano o programa socioassistencial do Governo do Estado teve como um dos principais focos o apoio financeiro aos municípios para proteção de famílias que vivem em áreas de pobreza.

O programa Nossa Gente Paraná atendeu diretamente mais de 32 mil famílias carentes em 365 ações realizadas em 2020. No total, esta iniciativa do Governo do Estado oferece assistência a aproximadamente 63 mil famílias em situação de vulnerabilidade social. 

Por orientação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, neste ano o programa teve como um dos principais focos o apoio aos municípios e famílias na superação da situação de emergência ocasionada pela pandemia de Covid-19, repassando recursos para prefeituras.

Sob responsabilidade da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, o programa atua em diversas áreas para promover a melhoria da qualidade de vida e reduzir vulnerabilidades sociais de famílias que vivem em regiões de maior concentração de pobreza.

Além do acompanhamento familiar intersetorial, o Nossa Gente engloba ações e projetos como: Nossa Renda, Renda Agricultor Familiar; Luz Fraterna; Aluguel Social; Caixa d’Água Boa; Inclusão Produtiva Solidária, Construções de Equipamentos Sociais (CRAS e CREAS), no cofinanciamento aos municípios, Regularização Fundiária e Construções de Moradias.

RECURSOS – Para realizar as atividades do programa o Estado conta com um financiamento de aproximadamente R$ 500 milhões (US$ 100 milhões) captado junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos são aplicados na execução de projetos divididos em seis eixos principais: Assistência Social, Habitação, Educação, Saúde, Segurança Alimentar e Nutricional (que contempla a Agricultura) e Trabalho.

Segundo o secretário Ney Leprevost, o programa agrega inovações constantemente para melhorar os métodos de acompanhamento familiar que permitem identificar outras vulnerabilidades da família, além das contidas no CadÚnico.

Uma das ferramentas para isso são as 58 questões respondidas pelos técnicos sobre a família. “A partir da identificação da alta vulnerabilidade e suas demandas, é possível atender as famílias em sua integralidade nas mais diversas áreas”, afirma Leprevost.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email