Bar ‘fast food’ descoberto em Pompéia

Bar ‘fast food’ descoberto em Pompéia
An undated photo made available by the Pompeii Archeological park press office shows the thermopolium in the Pompeii archeological park, near Naples, Italy. A fast-food eatery discovered at Pompeii is now completely excavated, helping to reveal some favorite dishes of citizens of the ancient Roman city who liked to eat out. Pompeii Archaeological Park’s longtime chief, Massimo Osanna said Saturday, Dec. 26, 2020, in a statement that while some 80 such fast-foods have been found at Pompeii, it is the first time such an eatery — known as a thermopolium since it serve hot foods — had been entirely excavated. (Luigi Spina/Parco Archeologico di Pompei via AP)

Pato, porco, peixe, caracol … e vinho com favas esmagadas estavam no menu, dizem os arqueólogos, quando o primeiro restaurante de comida quente – conhecido como termopólio – foi escavado.

Pesquisadores disseram que desenterraram totalmente um termopólio com afrescos, ou balcão de fast food, em excepcional estado de preservação em Pompéia.

O ornamentado balcão da lanchonete, decorado com padrões policromados e congelado por cinzas vulcânicas, foi parcialmente exumado no ano passado, mas os arqueólogos ampliaram o trabalho no local para revelá-lo em toda a sua glória.

Pompéia foi soterrada em um mar de lava fervente quando o vulcão nas proximidades do Monte Vesúvio entrou em erupção em 79 DC, matando entre 2.000 e 15.000 pessoas.

No entanto, os arqueólogos continuam a fazer descobertas lá.

O Thermopolium de Regio V no que era um cruzamento movimentado da Silver Wedding Street com o Alley of Bal Varandas era o equivalente da era romana a uma barraca de lanches fast-food.

Anteriormente desenterrado estava um afresco com a imagem de uma ninfa Nereida cavalgando um cavalo-marinho e gladiadores em combate.

No último estágio de seu trabalho, os arqueólogos descobriram uma série de cenas de naturezas-mortas, incluindo representações de animais que se acreditava estarem no menu, principalmente patos-reais e também um galo, para servir com vinho ou bebidas quentes.

Os cientistas também conseguiram obter novas informações preciosas sobre os hábitos gastronômicos da cidade desde a erupção, que engolfou Pompeia e a cidade vizinha de Herculano enquanto eles tentavam fugir apenas para serem engolfados por correntes de lava piroclástica ou atingidos por prédios em queda.

A equipe encontrou fragmentos de ossos de pato e restos de porcos, cabras, peixes e caramujos em potes de barro. Alguns dos ingredientes foram cozidos juntos, como uma paella da era romana.

Fava esmagada, usada para modificar o sabor do vinho, foi encontrada no fundo de um frasco.

O chefe de longa data do Parque Arqueológico de Pompéia, Massimo Osanna, disse que esta é a primeira vez que tal restaurante de comida quente foi completamente descoberto.

Depois que um segmento do balcão de fast-food foi parcialmente desenterrado em 2019 durante o trabalho para escorar as ruínas de Pompéia, muitas vezes em ruínas, os arqueólogos continuaram a cavar, revelando um balcão de vários lados, com buracos largos típicos inseridos em seu topo. A bancada continha recipientes profundos para alimentos quentes, não muito diferente de recipientes de sopa aninhados em barras de saladas modernas.

Especialistas em plantas e animais ainda estão analisando os restos mortais do local. Imagens de dois patos-reais de cabeça para baixo e um galo, cuja plumagem era pintada com a típica cor vívida conhecida como vermelho de Pompeia, também iluminavam o restaurante e provavelmente serviam para divulgar o menu.

Outro afresco retratava um cachorro na coleira, talvez não muito diferente dos lembretes modernos para colocar animais de estimação na guia. Grafites vulgares foram inscritos na moldura da pintura.

Valeria Amoretti, uma antropóloga da equipe de Pompeia, disse que “as análises iniciais confirmam como as imagens pintadas representam, pelo menos em parte, os alimentos e bebidas efetivamente vendidos no interior”. Em seu depoimento, observou-se que em um dos recipientes foi encontrado fragmento de osso de pato, junto com restos de cabras, porcos, peixes e caramujos. No fundo de um recipiente de vinho havia vestígios de grãos de fava moídos, que antigamente eram adicionados ao vinho para dar sabor e clarear sua cor, disse Amoretti.

“Nós sabemos o que eles estavam comendo naquele dia”, disse Osanna, referindo-se ao dia da destruição de Pompéia em 79 DC. Os restos de comida indicavam “o que é popular entre as pessoas comuns”, disse Osanna à TV estatal Rai, observando que os restaurantes de rua não eram é frequentado pela elite romana.

Uma descoberta surpreendente foi o esqueleto completo de um cachorro. A descoberta intrigou os escavadores, pois não se tratava de um “cão grande e musculoso como o pintado no balcão, mas de um exemplar extremamente pequeno” de um cão adulto, cuja altura ao nível do ombro era de 20 a 25 centímetros (8- a 10 polegadas), disse Amoretti. É bastante raro, disse Amoretti, encontrar vestígios de tempos antigos de cães tão pequenos, descobertas que “atestam a criação seletiva na época romana para obter este resultado”.

Também foram desenterrados uma concha de bronze, nove ânforas, que eram recipientes de comida populares na época romana, um par de frascos e um recipiente de cerâmica para óleo.

Restaurateurs bem-sucedidos sabem que uma boa localização pode ser crucial, e o operador dessa antiga fast-food parecia ter encontrado um bom lugar. Osanna observou que do lado de fora do restaurante havia uma pequena praça com uma fonte, com outro termopólio nas proximidades.

Pompeia foi destruída pela erupção vulcânica do Monte Vesúvio, que fica perto da atual Nápoles. Grande parte da cidade antiga ainda não foi escavada. O local é uma das atrações turísticas mais populares da Itália.

Restos humanos também foram descobertos nas escavações do restaurante.

Esses ossos foram aparentemente destruídos no século 17, durante escavações clandestinas por ladrões em busca de objetos de valor, disseram as autoridades de Pompeia. Alguns dos ossos pertenciam a um homem que, quando o vulcão Vesúvio entrou em erupção, parecia estar deitado em uma cama ou berço, já que pregos e pedaços de madeira foram encontrados sob seu corpo, disseram as autoridades. Outros restos humanos foram encontrados dentro de uma das vasilhas do balcão, possivelmente colocados ali por aqueles escavadores há séculos.

Imagens: Parque Arqueológico de Pompéia, Itália. (Luigi Spina / Parco Archeologico di Pompei via AP).

Fonte: timesofisrael.com

SEU APOIO VOLUNTARIO É MUITO IMPORTANTE!
Sua assinatura não somente ajudará no fornecerá notícias precisas, mas também contribuirá para o crescimento do bom jornalismo que ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras.

Tornando-se assinante Prêmio!

Através do link abaixo você obtém 25% de desconto, também contribuirá com ações voltadas a proteção de animais em situações de abandono, e vítimas de maus tratos. Acesse o link ou escaneie o QRcode o abaixo e obtenha o desconto promocional e contribua com a causa animal!

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

LINK ASSINATURA ANUAL PAGAMENTO ÚNICO

Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email