Religiosidade

Cuidado Com A Falsidade!

Nesta semana, começamos o Sefer Shemot [Livro do Êxodo], o segundo dos Cinco Livros da santa Torah. Este livro trata da escravidão dos judeus no Mitzraim [Egito]. Um novo rei surgiu no Egito que não conhecia Yosef ou suas contribuições para o Egito [outra opinião diz que ele apenas agiu como se não conhecesse Yosef].

Este rei não viu com bons olhos o rápido aumento da população judaica em seu país. Os egípcios estavam cheios de ansiedade e temerosos com a ilusão de que os judeus conquistariam o Egito e os expulsariam de sua terra. Você já ouviu a paranoia sobre a “dominação judaica”? Não é nada novo; até existia no antigo Egito.

A Hassidut ensina que assim como a falsidade tem muitos modos e nuanças, o mesmo ocorre com a verdade. Não podemos entender todas as maneiras pelas quais a falsidade finge ser verdade, mas temos um exemplo na parasha desta semana. O Faraó é o epítome da falsidade na maneira como enganou a nação judaica e os colocou para trabalhar para ele sem qualquer remuneração.

A princípio, o próprio Faraó veio trabalhar ao lado deles, mas logo recuou e colocou seus feitores sobre eles, aumentando sua cota de trabalho cada vez mais até que se tornassem verdadeiramente escravos. Quando Moshe veio a ele em uma missão de D’us pedindo-lhe para deixar os judeus saírem do Egito, ele respondeu [Shemot 5: 4]: “Moshe e Aharon, por que vocês estão perturbando o povo de seu trabalho? Volte para suas próprias preocupações!”. Então ele disse a seus capatazes: “Faça o trabalho mais pesado para os homens e certifique-se de que eles o façam.

Então, eles não prestarão atenção a palavras falsas.” [ibid. 5: 9].Rabi Natan escreve: Olhe para essa ousadia! O malvado Faraó está fazendo os judeus trabalharem de graça, sem qualquer remuneração, mas quando lhe pedimos para deixar os judeus servirem a D’us, ele diz que eles estão sendo influenciados por “palavras falsas” – como se suas ações fossem completamente verdadeiras, como se fosse legítimo escravizar e torturar uma nação inteira! Ele afirma que eles não deveriam dar ouvidos à falsidade.

Existe alguma falsidade maior do que esta?!Perceba como é sútil a falsidade, portanto devemos tomar muito cuidado com as sutilezas das palavras e ações falsas. Que afirmam viver da verdade, mas no fim o objetivo é outro.Am Israel ama a vida, a verdade, o amor pelo próximo e por H’shem!

Assim todos nós devemos ser, verdadeiros com nossos amigos e nossa amada família, preservando-os em amor e em verdade.

Com base em Baseado em Likutey Halachot, Hilchot Ribit 5: 30-32.

Imagem destacada: Pixabay

Por Rabino Eliahu Hasky

Fonte Blog Torah Com Você

SEU APOIO VOLUNTARIO É MUITO IMPORTANTE!
Sua assinatura não somente ajudará no fornecerá notícias precisas, mas também contribuirá para o crescimento do bom jornalismo que ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras.

Tornando-se assinante Prêmio!

Através do link abaixo você obtém 25% de desconto, também contribuirá com ações voltados ao ensino de Torah.

https://nubank.com.br/pagar/1mnkfc/V4e43IJrVl

Print Friendly, PDF & Email

Eliahu Hasky

Colunista para Israel em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais da região.
Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo