News

Novo estudo mostra que vacina AstraZeneca retarda a propagação do contágio pelo coronavírus

Compartilhar

Uma única dose da vacina da AstraZeneca oferece 76% de proteção por até 90 dias e reduz o risco de infectar outras em 67%, mostra um novo estudo.

A vacina contra a covid-19 de AstraZeneca é administrada em duas doses, com quatro semanas de intervalo, mas provou ser muito eficaz mesmo após a primeira dose, de acordo com um estudo realizado na Universidade de Oxford, no Reino Unido.

A vacina tem um efeito de 76% 22 dias após a primeira dose e até 90 dias se passaram. O efeito não diminui durante esse período.

Um total de 17.000 pessoas no Reino Unido, África do Sul e Brasil foram incluídas no estudo, com algumas sendo vacinadas e outras não.

Entre os que receberam uma dose da vacina da AstraZeneca, 21 dias depois, ninguém foi hospitalizado, enquanto no grupo controle, houve 15 internações.

Retardando a propagação da infecção

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores de Oxford, uma única dose da vacina também reduz o risco de transmissão da infecção para outros em 67%. A universidade também esteve envolvida no desenvolvimento da vacina AstraZeneca.

A vacina tem, portanto, um “efeito significativo” quando se trata de retardar a propagação da infecção, concluíram os pesquisadores em uma chamada pré-publicação na revista médica Lancet.

O Reino Unido decidiu esperar quando se trata de dar a segunda dose da vacina até que três meses se passaram.

Segundo os pesquisadores, essa é “uma estratégia eficaz” para conter a pandemia e pode ser uma “solução ideal” quando há acesso limitado às vacinas.

Segundo o estudo, a vacina é 82,4% eficaz após a segunda dose ser administrada.

Fonte: ©NTB Scanpix – Norway Today

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Paulo Fernando De Barros

Colunista e editor para a Noruega em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo