News

É revelado o paradeiro de princesa fugitiva de Dubai

A princesa Latifa Al Maktoum, filha do governante de Dubai, que tentou fugir do país em 2018 compartilhou com amigos um vídeo secreto acusando seu pai de mantê-la “refém”, após seu retorno forçado aos Emirados Árabes.

Em imagens compartilhadas com o Panorama da BBC, a princesa Latifa Al Maktoum diz que militares sob as ordens de seu pai a drogaram enquanto ela fugia de barco de Dubai, em 2018, e levaram de volta para casa. Desde então ela é mantida em uma “villa” em Dubai, que ela disse ter janelas gradeadas e polícias como guardas.

Dubai e os Emirados Árabes Unidos já disseram que ela está segura aos cuidados de sua família.

A ex-enviada para os direitos da ONU Mary Robinson, que descreveu Latifa como uma “jovem problemática” depois de conhecê-la em 2018, agora diz que foi “terrivelmente enganada” pela família da princesa.

O ex-alto comissário da ONU para os Direitos Humanos e presidente da Irlanda juntou-se aos apelos por uma ação internacional para estabelecer a condição atual de Latifa e seu paradeiro.

“Continuo muito preocupada com Latifa. As coisas mudaram. Por isso, acho que deve ser investigado”, disse ela.

Contato com Latifa

O relato de Latifa sobre sua captura e detenção foi revelado ao Panorama por sua amiga Tiina Jauhiainen, seu primo materno Marcus Essabri e o ativista David Haigh, que estão todos por trás da campanha #FreeLatifa

Eles dizem que tomaram a difícil decisão de divulgar as mensagens recebidas agora por preocupação com a segurança de Latifa, já que as mesmas pararam de chegar.

Princesa Latifa Al Maktoum e sua amiga Tiina Jauhiainen.

Foram eles que conseguiram estabelecer contato com Latifa enquanto ela estava detida em uma “villa” em Dubai, que ela disse ter janelas gradeadas e guardas da polícia.

Vale lembrar que os vídeos foram gravados ao longo de vários meses em um telefone que Latifa recebeu secretamente cerca de um ano após sua captura e retorno a Dubai. Ela os gravou em um banheiro, pois era a única porta que ela poderia trancar.

Entenda o caso

Latifa, agora com 35 anos, tentou fugir pela primeira vez de sua família aos 16, mas foi somente depois de contatar o empresário francês Herve Jaubert em 2011 que uma fuga planejada por muito tempo foi posta em ação. Isso foi feito com a ajuda da Tiina Jauhiainen, inicialmente sua instrutora de capoeira, uma arte marcial brasileira.

Em 24 de fevereiro de 2018, Latifa e Jauhiainen pegaram um barco inflável e um jet ski para águas internacionais, onde Jaubert estava esperando em um iate com bandeira dos EUA.

Mas oito dias depois, próximo da costa da Índia, o barco foi abordado por militares. Jauhiainen diz que granadas de fumaça forçaram ela e Latifa a se esconderem no banheiro abaixo do convés e foram mantidos sob a mira de armas.

Latifa foi então devolvida a Dubai e não havia notícias dela até agora.

Tiina Jauhiainen e a tripulação do barco foram libertados após duas semanas de detenção em Dubai. O governo indiano nunca comentou seu papel nos eventos.

Antes de sua tentativa de fuga em 2018, Latifa gravou outro vídeo que foi postado no YouTube após sua captura. “Se você está assistindo a este vídeo, não é uma coisa tão boa, ou estou morta ou em uma situação muito, muito, muito ruim”, disse ela.

O encontro Robinson

Em dezembro de 2018 Mary Robinson voou para Dubai a pedido de sua amiga, a princesa Haya, para um almoço no qual Latifa também estava presente. Robinson disse ao programa Panorama da BBC que ela e a princesa Haya, na época a sexta esposa do governante de Dubai, haviam recebido detalhes sobre o transtorno bipolar de Latifa, uma condição que ela não tem.

Robinson disse que não perguntou a Latifa sobre sua situação porque não queria “aumentar o trauma” da “condição” de Latifa.

Nove dias depois do almoço, o Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos publicou fotos de Robinson com Latifa, o que foi uma prova de que a princesa estava bem.

Em 2019, as tensões dentro da família governante de Dubai foram reveladas perante o Supremo Tribunal da Inglaterra depois que a princesa Haya, fugiu para o Reino Unido com dois de seus filhos e solicitou uma ordem de proteção contra o xeque.

No ano passado, a Suprema Corte emitiu uma série de sentenças de apuração de fatos afirmando que o xeque Mohammed ordenou e orquestrou o retorno forçado de Latifa em 2002 e 2018, bem como o sequestro ilegal no Reino Unido em 2000 de sua irmã mais velha, a princesa Shamsa, que também tentou escapar.

Os amigos de Latifa esperavam que o processo judicial em março do ano passado que julgou o xeque Mohammed, chamando-o de “não honesto” e a favor da princesa Haya, pudesse ajudar.

O xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum construiu uma cidade de enorme sucesso, e governa Dubai desde fevereiro de 2006. Ele tem uma vasta empresa de corridas de cavalos e frequentemente participa de grandes eventos como o Royal Ascot, na Inglaterra, onde já se encontrou com a Rainha Elizabeth II.

Sobre a decisão de divulgar as imagens Tiina Jauhiainen apenas diz que “muito tempo se passou” desde que o contato foi perdido.

Os governos de Dubai e dos Emirados Árabes Unidos não responderam aos pedidos de comentários da BBC sobre a condição atual de Latifa.

Com informações de BBC

Imagem: Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum e uma de suas filhas, a princesa Latifa bint Mohammed Al Maktoum.

Print Friendly, PDF & Email

Fernanda da Silva Flores

Colunista associada para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos de personagens monárquicos, curiosidades históricas e notícias arqueológicas.
Botão Voltar ao topo