Crônicas

Quando as instituições são culpadas de tudo… Será?

Muito tempo sem escrever, havia prometido a mim mesmo não escrever sobre Política, mas, sobre Cultura? Posso. Então lá vamos nós.

Tomei para mim a postura de não mais escrever sobre política como fazia, pontual, atacando, enfiando o dedo na cara. Não por medo, pois sou entre outras coisas um velho Monarquista e Jornalista independente e como tal tenho minha ética, minha moral e meu senso de responsabilidades com o que escrevo, diferente de “certos colegas” da “Grande Mídia Avermelhada”, que, tenho certeza, não são colegas, pois não os acho “eticamente” jornalistas ou por que nada que vem dessa grande mídia hoje presta mais, pois só estão como urubus atrás da carniça do poder, ou seja, querendo a volta da esquerda para continuarem a ganhar seus rios de dinheiro.

Porém, meu artigo hoje, fala de outra coisa, pontual e talvez mais problemática que os FAKE NEWS que a grande mídia joga no ar e ainda faz campanha se dizendo defensora contra as FAKE NEWS (sendo ela a maior produtora). Mas, o que me pontua hoje a escrever é sobre um problema que vi acontecer ao divulgar um vídeo em minhas listas de amigos no Facebook e Whatsapp (eu me enrolo um pouco, mas a baronesa sempre me ajuda, ela é mais descolada, como dizem meus netos) sobre uma coisa linda que é a audição da Musica – Estão Voltando as Flores, de Paulo Soledade, interpretada pela Orquestra Brasil Jazz Sinfônica, com interpretação de Renato Braz. segue o Link abaixo.

Aí começou o problema… Tal apresentação foi gerada pela TV Cultura, feita no Instituto Butantã, e recebi de algumas pessoas críticas, por estar publicando algo da TV Cultura, do Instituto Butantã, que em 23 de fevereiro de 2021, completou 120 anos de existência. E aí eu pergunto. O que tal instituição de pesquisa, por sinal Lindo o prédio e fantástica a sua atuação na pesquisa científica, inclusive, na produção de Soro contra picadas de cobras, escorpiões, e outros animais peçonhentos, tendo como parceiro nesta empreitada de salvar vidas outro grande instituto, Vital Brasil, aqui no Rio, na Cidade de Niterói.]

Me causou espanto o que um homem, seguindo a sua tendência megalomaníaca, achando-se Deus e colocando a refém de suas políticas e de seu partido, a população do estado mais rico da união, aliado a ideia que temos hoje de ditaduras no Brasil (ditadura Doriana, Ditadura STFelista, entre outras), acompanhando a coisa ruim ainda teve a decisão monocrática (isto nunca deveria existir em nenhum país por mais ditatorial que ele pudesse ser, mas existe no brasil) de eliminar julgamentos feitos com condenação em terceira instância de certo Molusco Político, chefe do maior esquema de corrupção feito por um Partido (será Partido mesmo?) Político, que desde sua criação, apenas quer levar o Brasil para o ranço demoníaco do esquerdismo, que só serve para endossar seus anseios de enriquecimento, faz crescer a visão de que tais homens que aqui não preciso falar o nome (até por que se falar três vezes eles aparecem no espelho da tua casa, Cuidado – Agripino, Agripino, … fica a terceira para vocês hahahahah), aproveitando-se de toda essa “engronha” causada pelo COVarD 19, liberado lá daquele país asiático (não vou falar também o nome três vezes, já expliquei, mas se quiserem falo duas hahahahahah), envolvendo o Agrip… (hiiii! quase falei a terceira vez) e o Instituto Butantã, por conta da tal vacina contra o vírus de olho puxado, pudesse demonizar, tal instituto mais que centenário e que presta a 120 anos excelente serviço ao país.

O que o Instituto Butantã tem com isso? Por que uma instituição pode ser demonizada, colocada como bruxa, apenas por que os gestores estaduais (estes sim, os cânceres do Brasil) a levaram a entrar nessa guerra política suja, onde o que menos importa é a saúde do povo ou o bem estar da nação, o que estes esquerdopatas querem é apenas derrubar o atual mandatário do poder executivo, eleito com ampla margem de votos em 2018 e que ate então luta contra esse entreguismo, que sempre foi a tónica de governos federais a pelo menos três décadas, e dos governos estaduais de São Paulo.

Por que demonizar o Butantã por uma guerra política que não é dele – MANDA QUEM PODE OBEDECE QUEM TEM JUÍZO, diz o ditado. Esquecem quantas pessoas já foram salvas de picadas de cobra, escorpião, aranhas por soro feito pelo instituto. O que vejo na verdade é uma paranoia que acabou gerando uma falta de bom senso nas pessoas.

Quando demonizamos Instituições acabamos por nos fazer como o povo na França Pré Revolucionária durante o período Jacobino chamado de TERROR, onde as instituições acabaram sendo demonizadas e todos que as seguiam eram então contra revolucionários e terminavam seus dias na Guilhotina.

Vemos no Brasil, demonizarem o STF, o Instituto Butantã, TV Cultura, mas não vejo ninguém EXORCIZAR, os verdadeiros demônios que, por força de voto, “POSSUIRAM” tais cargos e hoje aprovam as ações demoníacas antinacionalistas, antipatrióticas, pois, usam sua influência maléfica, mefistofélica e “calçaapertadística” buscando, junto com outros (tem o da Família Silvassauro, a Muié do Gópi e o “bunitinho” de Pelotas – hummm o Costinha tinha umas histórias de Pelotas… – e outros megalomaníacos, agora capitaneado pelo Eneadigitálico Molusco Barbudo, esse não falo o nome nem duas vezes pois aparece logo na mídia), boicotar o governo conservador e anti todos eles, do presidente Jair Bolsonaro que, se não houver fraude na não fraudável urna-eletrônica-sem-direito-a-voto-impresso-por-que-ela-não-erra, (aquela feita lá na Venezuela…, outro que nem falo pra não cair de MADURO no meu colo), em 2022 se reelege e até 2026 vamos ver como essas feras do cramulhão vermelho se retorcem.

A culpa não é das instituições, pois elas são isso, INSTITUIÇÕES, elas não fazem nada, quem faz são os demônios políticos que dominam a caneta (não é a BIC diga de passagem) que assinam as ordens.

Fica aqui o meu desagravo a estas posturas, quero um Butantã, Vital Brasil, FioCruz-Manguinhos todas elas e mais outras instituições científicas com apenas um olhar – Olhando o Povo Brasileiro, isentos de politicagem e falcatruas, sonho com instituições e seus mandatários com a coragem que vejo por exemplo no nobre Sergio Camargo a frente da Fundação Palmares, mostrando que Negro não é vítima nem precisa de MIMIMISMO ou VITIMISMO, para ser valorizado, mas sim, ser valorizado pelo que ele é SER HUMANO, BRASILEIRO, NEGRO, não essa outra panaceia idiota de Afrodescendente, somos o que de melhor foi formado como povo, Mestiços de todas as raças e vivendo em um país maravilhoso, que tem as maiores riquezas naturais e minerais do Mundo, inclusive algumas quase exclusivamente nossas como o Nióbio que 98% Deus colocou em nosso território.

Quero um país rico, com o povo livre e com a riqueza que Deus nos deu, revertendo para nosso bem e não apenas para encher, bolsos, malas, cuecas de políticos corruptos, antinacionalistas e antipatrióticos. Quero um GRANDE BRASIL, não um brasil grande (e fica com minúscula mesmo). Quero deixar como legado para nossas crianças, vida, boa qualidade de vida, temos condições de sermos o MAIOR IDH do PLANETA, basta pararem de roubar, de enganar o povo, de jogar a culpa sobre quem quer fazer algo bom para o povo e contrário a seus esquemas corruptos e salafrários.

Quero um país lindo, de Verde dos Braganças e Amarelo dos Habsburgos, que nem os criminosos golpistas de quinze de novembro de mil oitocentos e oitenta e nove, tiveram a coragem de conseguir mudar, pois aquele verde e amarelo faz parte de nossa herança (sim sou monarquista com orgulho), e mantiveram o pavilhão Verde Amarelo, deturpando tais cores – verde das matas, amarelo do ouro, azul do céu e branco da paz – BALELA.

Está na hora do povo tocar o terror sim, ir as ruas incomodar os poderosos deuses do Olimpus STFeano, de Asgard Bandeirante, e de todos os Palácios e depois dizem que o Brasil não tem alma monárquica, todas ou quase todas as sedes de governo são chamadas de PALÁCIO, e quem mora em Palácios são… OS REIS, OS REIS, OS REIS (esse eu falo três vezes com prazer).

Fica aqui o meu discurso.

Tenho dito, pronto Falei

Lugus Von du Kontra – Barão de Araruta e jornalista nas horas vagas.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo