Saúde

Projeto quer testar o efeito de plantas medicinais na recuperação de pacientes com suspeita de COVID-19

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) teve projeto aprovado no Programa de Combate a Epidemias, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), para fazer ensaio clínico sobre a eficácia de plantas medicinais, usadas na forma dos populares chás, como agentes complementares no tratamento dos pacientes com suspeita de COVID-19. A pesquisa é liderada por Ionara Rodrigues Siqueira, professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Farmacologia e Terapêutica, da universidade gaúcha.

A proposta é testar dois tipos de infusões de espécies de plantas ricas em compostos fenólicos, especificamente a Achyrocline satureioides, conhecida usualmente como “marcela” ou “macela”, e a Malus domestica, a chamada maçã desidratada. O teste será aplicado em pacientes voluntários que já estejam recebendo tratamento médico, conforme protocolos de atendimento de saúde.

Os participantes receberão as plantas e um medidor que deverão serão usados duas vezes ao dia durante 14 dias. Ao longo deste período, os pacientes deverão responder diariamente a questionários, por meio de aplicativo digital ou por escrito, sobre as mais diferentes questões relacionadas aos sintomas de infecção respiratória, como tosse, febre, calafrios, dificuldade de respiração, falta de apetite etc.

Também serão coletadas amostras para avaliação de mecanismos de ação, tanto da COVID-19 quanto do uso das infusões. Todas as informações serão tabuladas dentro de critérios científicos rígidos, válidos internacionalmente, para que os pesquisadores possam, ao final, avaliar os efeitos que os chás de marcela ou de maçã alcançaram como agentes complementares no tratamento de infecções respiratórias virais, sobretudo no caso da doença causada pelo novo vírus corona.

Ionara Rodrigues explica que o Brasil é rico em biodiversidade e conhecimento popular sobre plantas medicinais, mas que ambos estão em risco, principalmente pela degradação do ambiente e pela falta de transmissão de conhecimento entre gerações. “Perdemos a oportunidade de ampliar toda a cadeia produtiva, desde a produção agrícola. Há evidências de que plantas podem conter compostos ativos, como a atividade antiviral, mas o uso precisa ter embasamento científico de qualidade, segurança e eficácia”, esclarece a pesquisadora.

A equipe multidisciplinar terá profissionais das áreas de Farmacologia, Medicina, Ciências Farmacêuticas, Bioquímica e Fisiologia. “Estamos motivados para promover a geração de conhecimento inovador sobre plantas medicinais e honrados com a seleção do projeto em um processo tão concorrido, onde propostas extremamente qualificadas foram submetidas para apreciação nesse edital lançado pela CAPES”, encerra a professora.

Programa Combate a Epidemias

É um conjunto de ações de apoio a projetos, pesquisas e formação de pessoal de alto nível para enfrentar a pandemia da COVID-19 e temas relacionados a endemias e epidemias, no âmbito dos programas de pós-graduação de mestrado e doutorado do País. O Programa está estruturado em duas dimensões: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas.

Em três editais, 109 projetos de pesquisa e formação de recursos humanos foram selecionados, com o envolvimento de mais de 1.300 pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras. Os projetos vão estudar temas relacionados a Epidemias, Fármacos e Imunologia e Telemedicina e Análise de dados Médicos.

Confira no Programa de Combate a Epidemias os detalhes dos três editais:
– CAPES – Epidemias – Edital nº 09/2020
– CAPES – Fármacos e Imunologia – Edital nº 11/2020
– CAPES – Telemedicina e Análise de Dados Médicos – Edital nº 12/2020

Confira o resultado final do Edital nº 09/2020
Confira o resultado final do Edital nº 11/2020
Confira o resultado final do Edital nº 12/2020

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES.

SEU APOIO É IMPORTANTE!
Sua assinatura não somente ajudará no fornecerá notícias precisas, mas também contribuirá para o crescimento do bom jornalismo que ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras.

Obrigado pelo apoio!

Tornando-se assinante Prêmio!

Através do link abaixo você obtém 25% de desconto, também contribuirá com ações voltadas a proteção de animais em situações de abandono, e vítimas de maus tratos. Acesse o link ou escaneie o QRcode o abaixo e obtenha o desconto promocional e contribua com a causa animal!

LINK ASSINATURA ANUAL PAGAMENTO ÚNICO

Print Friendly, PDF & Email

Daniel de Miranda

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades, saúde, vida saudável, e alimentação. Natural de Balneário Camboriú, Santa Catarina. Atleta. Gamer. Estudante.
Botão Voltar ao topo