Esportes

Revelação do snowboard brasileiro, Augustinho Teixeira encerra temporada em competição nos EUA

Jovem de 16 anos segue treinando no país depois de entrar na briga por vaga olímpica por conta dos bons resultados recentes.

“Ventos fortes aumentam consideravelmente o risco para os atletas uma vez que ambas as modalidades, Slopestyle e Halfpipe, envolvem grandes amplitudes de saltos em alta velocidade, onde qualquer deslocamento pelo vento pode desequilibrar o atleta”, explicou Pedro Cavazzoni, superintendente técnico da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN).

Na prova de Slopestyle, Augustinho conseguiu a melhor marca de 30.33 pontos na sua segunda descida, conquistando o 27º lugar. Já no dia 25 de março, o brasileiro conquistou um resultado melhor. Durante a prova de Halfpipe, Augustinho conquistou a melhor marca de 47.33 pontos na sua primeira descida e a 10ª colocação na competição. O snowboarder retorna agora para o Colorado, onde seguirá treinando até o fim de abril dentro do programa de treinamento do Ski & Snowboard Club Vail.

“Meu treinamento desde que cheguei aos Estados Unidos tem sido incrível. Desde a maneira como as pessoas me tratam até as instalações, sem falar no esforço que elas fazem deixar tudo bem organizado e tranquilo para mim. Tenho convivido com ótimos treinadores e atletas”, contou Augustinho.

Corrida pela vaga olímpica

No começo do mês, o brasileiro teve um bom desempenho no Mundial de Snowboard Freestyle em Aspen, nos Estados Unidos. Augustinho se tornou o atleta mais jovem da história a estrear na competição e participar das três provas (Slopestyle, Halfpipe e Big Air). Com 16 anos e 9 dias de idade, ele superou o holandês Dimi de Jong, que estreou com 16 anos e 136 dias de idade, no Mundial de La Molina, em 2011.

Mas o mais importante foram os resultados obtidos pelo atleta, que o colocaram numa corrida pela vaga olímpica para os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022. No Slopestyle, Augustinho ficou na 34ª colocação geral, o melhor sul-americano da prova. No Halfpipe, alcançou o Top 30, terminando na 24ª colocação, também o melhor da América do Sul. O resultado deu pontos importantes para a corrida olímpica.

“A vaga será definida apenas em janeiro de 2022, sendo que a Lista Olímpica (Olympic Quota Allocation List) soma todos os resultados Top 30 dos atletas em Copa do Mundo e no Campeonato Mundial 2021. Resultado fantástico do Augustinho”, disse Pedro Cavazzoni, Superintendente Técnico da CBDN.

“Percebi que o caminho é árduo, mas estou preparado e pude representar bem o meu país. Muito agradecido a Deus, a minha família, à CBDN, aos treinadores Bob Klein e Danny Kass, à família Copeland, e à Snowaddicted Brasil e a todos que nos ajudaram no Brasil, Argentina, Canadá e Estados Unidos”, afirmou Augustinho.

Na briga por uma vaga na modalidade, Augustinho tem a companhia de Noah Bethonico, que esteve nos Jogos Olímpicos da Juventude Lausanne 2020, no snowboardcross. Nesta temporada, Noah, que tem apenas 17 anos, conseguiu o melhor resultado do Brasil na história do Mundial Júnior, o 12º lugar.

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo