Esportes

Brasil conquista mais sete pódios e é campeão geral do Campeonato Pan-Americano de Guadalajara

Foram sete ouros, quatro pratas e três bronzes; parte da equipe seguirá em Guadalajara neste final de semana para a disputa do Open Pan-Americano.

A seleção brasileira de judô teve mais um dia de muitas medalhas no Campeonato Pan-Americano Sênior de Guadalajara, no México. Depois dos sete pódios conquistados no primeiro dia, nesta sexta, 16, os judocas brasileiros faturaram mais sete medalhas, sendo quatro de ouro, duas de prata e uma de bronze. Com os resultados, o país foi campeão geral da competição, com sete medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze, além de três quintos lugares.  

O torneio continental reuniu cerca de 100 atletas de 20 países e distribuiu 700 pontos (campeão) no ranking de classificação para Tóquio 2020. Foi uma grande chance para os judocas brasileiros que ainda buscam entrar na zona de ranqueamento olímpico e para as duplas que disputam internamente a vaga do Brasil nos Jogos Olímpicos, uma vez que só pode ir um atleta por país por categoria.  

Nesta sexta, os pesados Rafael Silva “Baby” e Beatriz Souza foram campeões de suas categorias e devem somar alguns pontos no ranking. Eles disputam a vaga olímpica ponto a ponto com David Moura e Maria Suelen Altheman, respectivamente. Moura ficou com a prata e Suelen não esteve em Guadalajara dessa vez, pois já tinha sido campeã em 2020 e não poderia melhorar seu resultado. Dos dois Pan, apenas o melhor resultado será computado no ranking.  

Os outros dois ouros brasileiros vieram com judocas mais jovens, que não estão ainda diretamente na briga pela vaga em Tóquio, mas que aproveitaram bem a oportunidade de lutar um Pan-Americano pela primeira vez. O meio-médio Guilherme Schimidt, de 20 anos, venceu o experiente Emmanuel Lucenti, da Argentina, por estrangulamento, na final, para subir ao lugar mais alto do pódio continental pela primeira vez, assim como a peso médio Ellen Santana, de 22 anos, que superou a equatoriana Celina Corozo, para ficar com o título.  

Nessas categorias, o Brasil tem Eduardo Yudy Santos e Maria Portela como melhores colocados no ranking. Yudy recupera-se da infecção por Covid-19 e não foi ao Pan. Portela, por outro lado, foi campeã em 2020, mesma situação de Daniel Cargnin (66kg), Eric Takabatake (60kg) e Maria Suelen (+78kg).  

“Fiquei muito feliz com a convocação. Estava treinando forte no meu clube, cuidando do meu peso e sempre pronto para quando a oportunidade aparecesse. A oportunidade chegou e eu consegui fazer esse ouro aqui no México. Estou muito feliz. Consegui desenvolver tudo que venho treinando, me senti bem e estou sempre pronto para as próximas competições em busca dos meus objetivos”, avaliou Schimidt, que é atleta do Minas Tênis Clube (MG) e da seleção Sub-21, onde foi bronze no Mundial Júnior.  

Também estreante em continentais adultos, Ellen Santana, que vinha de um quinto lugar no Grand Slam de Tashkent, vê o ouro no Pan como um fator motivacional para as próximas etapas.  

“Com esse Start de primeira medalha eu sinto que ainda tem muito por vir, muito para construir e isso me puxa para frente, me motiva muito. As próximas etapas são mais desafios e carrego esse resultado como bagagem para encará-los da melhor forma, buscando o melhor desempenho possível”, projetou a judoca do Esporte Clube Pinheiros.  

Além deles, Rafael Macedo (90kg) e Leonardo Gonçalves (100kg) também subiram ao pódio pan-americano nesta sexta. Macedo ficou com a prata, caindo na final diante do dominicano Robert Florentino. Leo ficou com um dos bronzes do meio-pesado depois de cair para o americano Nathaniel Keeve, nas quartas-de-final. A disputa pela medalha seria com seu compatriota Rafael Buzacarini, que não se apresentou para o combate. Buzacarini recupera-se de uma fratura no dedo do pé e, como já tinha a prata do Pan de 2020, não poderia melhorar sua pontuação mesmo se conquistasse o bronze em 2021.  

Parte da equipe seguirá em Guadalajara neste final de semana para a disputa do Open Pan-Americano, competição com pontuação menor (100kg), mas que vale para o ranking olímpico. Nessa disputa, participarão Gabriela Chibana, Nathália Brígida, Jéssica Pereira, Ketelyn Nascimento, Ellen Santana, Renan Torres, Willian Lima e Guilherme Schmidt. 

As próximas etapas do Circuito Mundial até os Jogos Olímpicos são o Grand Slam de Kazan, na Rússia, em maio, e o Campeonato Mundial de Budapeste, em junho, fechando o ranqueamento olímpico. A lista deve ser atualizada na próxima segunda-feira, com os resultados do Pan, do Asiático, do Africano e do Europeu, que está em andamento neste final de semana, em Lisboa. 

RESULTADO FINAL BRASIL – PAN-AMERICANO SÊNIOR – GUADALAJARA 2021 

OURO

Larissa Pimenta (52kg) 

Willian Lima (66kg)

Ketleyn Quadros (63kg)

Ellen Santana (70kg)

Beatriz Souza (+78kg)

Guilherme Schimidt (81kg)

Rafael Silva Baby (+100kg)

PRATA

Gabriela Chibana (48kg)

Ketelyn Nascimento (57kg)

Rafael Macedo (90kg)

David Moura (+100kg)

BRONZE

Nathália Brígida (48kg) 

Jéssica Pereira (57kg)

Leonardo Gonçalves (100kg)

5º lugar

Renan Torres (60kg)

Aléxia Castilhos (63kg)

Rafael Buzacarini (100kg)

QUADRO GERAL DE MEDALHAS

1º LUGAR GERAL – 7 OUROS, 4 PRATAS E 3 BRONZES 

Fonte: CBJ


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo