Crônicas

Para não dizer que não falei nada

Escrevo estas mal traçadas linhas hoje, só para não deixar passar um branco o vinte e um de abril de dois mil e vinte e um.

Tiradentes é o herói nacional, mas só queria libertar a rica Minas Gerais e tinha escravos.

Zumbi era herói dos pretos, mas tinha escravo e mandava escravizar quem se opunha a ele. Sem contar que foi o articulador da morte de Ganga Zumba, verdadeiro herói de Palmares.

Dandara era a mulher heroína de Palmares, mas não tem uma linha sequer, de algo documental que prove sua existência, só o mimimismo do pessoal do dito Movimento Negro (não deveria ser movimento preto? Vai entender!)

Benedita da Silva, a sempre preta senadora e única governadora do Rio nos últimos vinte anos que ainda não foi presa por maracutaias no poder. Marina Silva, a ministra ecológica hibernante de quatro em quatro anos que teve em sua gestão no Ministério do Meio Ambiente a maior quantidade de queimadas e desmatamento da Amazônia. Madame Satã, travesti, triplo assassino, malandro confesso da Lapa antiga, todos os três agraciados com liminares para voltarem a lista “póstuma” (Benedita e Marina estão mortas legalmente?) de Personalidades Pretas da Fundação Palmares e só voltaram por canetada política, pois nada fizeram pelos pretos do Brasil. E pergunto se saíram vários outros por que só estes três foram obrigados a voltar? Coisas da Justiça da Ré Publica das Bananas do Brasil.

Lula, a Alma mais honesta e agora totalmente limpa do Brasil, chorou por que nunca foi chamado de MITO nas suas andanças, as custas do povo, pelo Brasil. Ora Mas as crianças do MST e do MTST que o consideram como vovozinho sempre o chamam assim – o VÓ mito Lula, mas como foi Liberto de todas as penas por canetada de ministro que foi colocado no STF para ser para-raios destas coisas ele já deveria ficar feliz.

Este na verdade é uma pequena pintura do quadro maior e caótico que é está nação auriverde. Pronto falei. Não dá para ficar calado nesta República das Bananas com todas estas panaceias.

Ahhh sim, já ia me esquecendo, sexta feira tem outro feriado, São Jorge, instituído aqui no Rio por um ex deputado miliciano, e aí a coisa BABU, (não, esse era o nome do cabra), e aí a coisa BABOU.

Lugus Von duKontra

Barão de Araruta a seu dispor.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo