Mercedes “não é a melhor” equipe nos pit stops, admite Shovlin

O infame momento fora da pista de Lewis Hamilton no Grande Prêmio da Emilia Romagna pode ter retardado seu progresso, mas um pit stop demorado para o heptacampeão também não ajudou, com o diretor de engenharia da Mercedes, Andrew Shovlin, admitindo que o o trabalho da equipe no pit é uma área de preocupação para os Silver Arrows.

A primeira parada de Hamilton na corrida de Imola na volta 28 o deixou parado por quatro segundos inteiros – ele foi pego por ter que esperar a passagem de um carro e também por um problema com a fixação da roda dianteira direita.

E voltando de um erro de pit stop no Grande Prêmio do Bahrain, que viu Valtteri Bottas retido por 10,9s devido a um problema com a arma nas rodas, Shovlin disse que a Mercedes estava procurando todas as opções para superar seus problemas nalos boxes.

“É justo dizer que não somos os melhores”, admitiu Shovlin, em um vídeo postado no canal da própria Mercedes no YouTube. “Estamos perdendo tempo nos pit stops e é uma área em que estamos focando há algum tempo”.

“Em particular, na parada de Lewis, tivemos um problema com uma das armas e na próxima parada nós realmente mudamos para uma arma diferente. E isso pareceu resolver o problema. E também houve uma curta espera – tivemos que segurá-lo por cerca de quatro décimos de segundo porque [Antonio] Giovinazzi estava descendo o pit lane bem no ponto em que Lewis estava pronto para ir”.

Hamilton se recuperou bem de seus vários problemas para levar a P2 atrás do eventual vencedor Max Verstappen

“Houve alguns casos específicos que nos afetaram na corrida de Imola,” acrescentou Shovlin, “e vamos tentar trabalhar nisso. Mas, a longo prazo, ainda estamos procurando o que podemos fazer com a equipe com o equipamento para tentar obter um pouco mais de tempo nessas paradas”.

Entretanto, Shovlin também confirmou as razões de Bottas ter sofrido um furo nas voltas à grelha, o que obrigou a Mercedes a mudar os pneus antes do início da corrida.

“Monitorámos a pressão dos pneus e na segunda volta [à grelha] pudemos ver que começava a perder pressão,” disse Shovlin. “Sabíamos que não ia ficar terrivelmente baixo apenas na curta distância que ele teve que percorrer até a grade, então o avisamos sobre o furo.

“Na verdade, é muito difícil ir até o fim, mas passou e estava perdendo ar e obviamente aquele pneu não estava disponível durante a corrida,” concluiu Shovlin.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Sair da versão mobile