News

Hipertensão e saúde bucal: Entenda a relação entre eles e como podem afetar a sua saúde

A correlação entre hipertensão e saúde bucal, por mais distantes que pareçam, são maiores do que se pode imaginar. Elas podem causar interferências mútuas e ocasionar a piora da saúde geral do paciente, por isso é importante compreender o que são essas doenças e como é possível evitá-las.

O que causa a hipertensão?

O paciente é diagnosticado com hipertensão quando a média da pressão arterial equivale ou ultrapassa a marca de 14 por 9, por um período prolongado. 

Isso pode se dar por diversos motivos, como os altos níveis de estresse, o sedentarismo, a ingestão de alimentos ricos em sódio e até predisposições genéticas.

Cabe mencionar que é normal que a pressão oscile para se adequar ao tipo de atividade que está sendo desempenhada ao longo do dia. 

No entanto, as taxas tendem a permanecer altas quando existe algum tipo de impedimento ou bloqueio nas veias, e quando as paredes dos próprios vasos sanguíneos apresentam alguma rigidez. 

Desta forma, o coração precisará de mais força para conseguir impulsionar o sangue para todo o corpo.

O sangue, por sua vez, é o maior meio de transporte de oxigênio, minerais e água para todo o organismo. 

Sem o suprimento adequado, o paciente hipertenso pode desenvolver deficiências causadoras de infarto, derrame, perda de memória, hemorragias cerebrais, problemas de visão, entre muitos outros quadros clínicos de alto risco.

Os principais sintomas da pressão alta são:

  • Dores no peito;
  • Visão borrada ou duplicada;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Dores na cabeça e nuca;
  • Dificuldade de respirar.

Os pacientes mais propensos ao desenvolvimento de hipertensão – e, portanto, os que precisam tomar mais cuidados com os hábitos que podem piorar o quadro – são os afrodescendentes (devido à herança genética), mulheres (em razão da diminuição hormonal causada pela menopausa) e os diabéticos.

Apesar disso, todos os pacientes que não costumam manter um cuidado bucal satisfatório e uma vida mais sedentária, podem apresentar maiores chances de ter dificuldades no tratamento e controle da pressão alta.

Como a hipertensão e a saúde bucal se interferem

A falta de cuidado com doenças bucais inflamatórias, como a gengivite, pode afetar o tecido ósseo maxilar e as bases de sustentação dos dentes.

Neste estágio mais crítico, as bactérias responsáveis pela infecção gengival, além de comprometer intervenções como o implante dentário, podem contaminar a corrente sanguínea e se espalhar para diversas partes do corpo.

Um dos principais problemas causados por essa infecção generalizada decorre do seu alojamento nas paredes dos vasos sanguíneos, formando placas bacterianas que provocam doenças cardiovasculares.

Ainda que não tenhamos os motivos exatos, estudos sugerem que os pacientes com periodontites mais severas apresentam o agravamento da hipertensão. Sendo que desses, as pessoas que tomam remédios para o controle da pressão arterial tem a eficácia do medicamento reduzida, gerando um tratamento anti-hipertensivo ineficiente.

Além disso, os remédios utilizados para a gestão dos índices pressóricos implicam, como efeito adverso, na sensação de boca seca – também conhecida como xerostomia. 

Essa consequência, que altera os níveis de produção salivar, propicia um ambiente ideal para a reprodução dos microorganismos causadores de cáries que podem piorar, ainda mais, o quadro de gengivite.

Dito isso, devido a necessidade de ainda mais cautela, é preciso que o paciente fique atento a procedimentos, como a lente de contato dental, que podem ser a causa de irritações gengivais e até inflamações se não forem bem acompanhadas e higienizadas, por exemplo.

Dicas de como manter a saúde bucal em dia

Deste modo, os especialistas em odontologia reiteram a importância do cuidado com a saúde bucal, para o sucesso no tratamento da pressão alta e para evitar a incidência de outras doenças cardiovasculares.

A rotina completa de higiene deve ser realizada de forma regrada. A escovação deve ser efetuada três vezes ao dia com o uso do fio dental logo em seguida. 

O enxaguante bucal e a limpeza adequada do aparelho dental invisivel também são imprescindíveis para o controle das cáries e inflamações.

Inclusive, no caso de estruturas móveis, a higienização e armazenamento corretos também se mostram fundamentais para evitar o contato de bactérias com os moldes e, consequentemente, com a cavidade e organismo. 

Tal cuidado é importante tanto para a estrutura de tratamento de um aparelho invisivel, como mencionado, quanto para próteses móveis.

Além disso, especialistas recomendam que os pacientes saudáveis devam realizar consultas de rotina com um cirurgião-dentista, uma vez a cada seis meses. 

Contudo, pessoas diabéticas ou hipertensas devem manter esse controle ainda mais frequente, sendo preciso efetuar uma limpeza aprofundada dos dentes a cada quatro meses.

Essas consultas costumam servir para a avaliação quanto à necessidade de algum tratamento de manutenção da saúde dos dentes e até para a realização de procedimentos estéticos. 

Neste segundo casos, o paciente pode tirar dúvidas sobre quanto custa lente de contato dental, como é realizado o procedimento e se é possível fazê-lo com o controle de seu quadro clínico, por exemplo.

Assim, o mais importante é manter-se atento aos sintomas da hipertensão e das doenças bucais. Ao notar qualquer anormalidade, é preciso procurar uma ajuda especializada. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

RELEASE: Blog CLÍNICA IDEAL
Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo