News

Detran/PA alerta sobre o alto número de acidentes com motociclistas

Segundo o Departamento de Trânsito do Pará, em 2020, até o mês de novembro, 9.856 motociclistas ficaram feridos e 606 perderam a vida.

O registro de acidentes e mortes no trânsito envolvendo motociclistas vem diminuindo no Estado, mas a categoria continua sendo a maior vítima nas rodovias do Pará. Levantamento do Detran, com base nos dados do Sistema Integrado de Segurança Pública, mostra que no ano passado, até o mês de novembro, 9.856 motociclistas ficaram feridos e 606 perderam a vida enquanto conduziam o veículo. A conscientização de condutores para um trânsito seguro é um dos objetivos do movimento Maio Amarelo. 

Segundo o Detran, em 2019, foram 11.777 motociclistas feridos e 799 óbitos. Apesar da tendência de queda se manter desde 2018, o Detran considera os números elevados se comparados ao segundo grupo que mais morre no trânsito, o passageiro, que, em 2020, registrou 165 casos, ou seja, quatro vezes menos que os motociclistas. 

Há dois anos, o órgão vem intensificando as campanhas educativas para um trânsito mais seguro. Em todas elas, o motociclista é sempre o principal alvo das abordagens. Na capital, as irregularidades são inúmeras e costumam piorar no interior, onde parte considerável dos condutores de motos não respeita as leis de trânsito.

Uso obrigatório do capacete, limite de passageiros na moto, entre outras orientações, são sempre reforçados junto aos motociclistasFoto: Divulgação“O não uso do capacete, do calçado adequado e do limite de passageiros na moto são as principais infrações que percebemos durante as abordagens”, informa o diretor-geral do Detran, Marcelo Guedes. 

Além disso, o Detran também reforça a realização, em todo o estado, de cursos de atualização para profissionais, onde são tratadas questões referentes à legislação, fiscalização e ética no trânsito. Nos últimos dois anos, mais de 500 mototaxistas e motofretistas foram capacitados sobre segurança no trânsito. 

Jovens e homens lideram  a trágica estatística

Além dos motociclistas, as estatísticas apontam que, em Belém, jovens e pessoas do sexo masculino são os que mais morrem no trânsito. Os dados do programa Vida no Trânsito, da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), mostram que quase 30% das vítimas de trânsito em 2019 tinham entre 20 e 30 anos de idade, desses, 68% eram homens.

Na distribuição por sexo apresentada pelo estudo da Sesma, para as vítimas graves, fatais e demais também se destaca o sexo masculino com os maiores percentuais, 72,3%, 81,3% e 66,53%, respectivamente. No caso das motocicletas, os tipos de acidentes ocorrem, principalmente, pelo atropelamento e colisão entre moto e carro. 

Fonte: Agência Pará

Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo