Educação

Dia do vestibulando: incertezas sobre vestibulares e Enem geram mais ansiedade em estudantes

Antes da pandemia, o número de estudantes prestando vestibular e fazendo provas para tentar um acesso ao Ensino Superior era de mais de 6 milhões em todo o Brasil. Em 2021, esses milhões de jovens, além de lidar com a expectativa de provas concorridas, ainda sofrem com a incerteza de um cenário bastante indefinido. A pandemia afetou em cheio estudantes que estão na reta final de uma trajetória e não sabem como ou quando ela vai terminar. Alguns vestibulares de universidades federais previstos para acontecer em 2020 ainda não aconteceram. O MEC ainda não confirmou quando será realizada a edição 2021 do Enem. Tantas indefinições acabam gerando ansiedade e, às vezes, desestimulando quem precisa, mais do que nunca, manter o foco e se preparar para quando a hora chegar.

De acordo com o coordenador editorial do Sistema Positivo de Ensino, Norton Nicolazzi Junior, o fundamental agora é o estudante não desanimar e aguardar com tranquilidade enquanto se prepara de forma adequada. “Equilíbrio deve ser a palavra chave para este período. É preciso não perder o foco. O estudante bem sucedido nos próximos vestibulares e provas será aquele que fez o que tinha que ser feito. Em vez de ficar pensando se haverá prova ou quando ela será realizada, o que só gera ansiedade, não parou de estudar e se preparar”, afirma Nicolazzi.

Para isso, o educador destaca que o primeiro passo é estabelecer uma rotina de estudos adequada. “O estudante que frequenta as aulas – on-line ou presencial – no período da manhã, por exemplo, precisa se organizar para estabelecer uma rotina e horários de estudos para o período da tarde. É importante definir metas que sejam viáveis. Fazer um planejamento que contemple atividades dos mais variados componentes curriculares e organizá-las por níveis de dificuldade. Iniciar sempre pelas mais fáceis e ir aumentando a complexidade dos exercícios na medida em que o aluno já se sinta devidamente preparado para avançar”, reforça.

Nicolazzi alerta que, apesar de ser fundamental mergulhar de cabeça na rotina de estudos e ter disciplina para cumprir com o que foi planejado, não se deve abdicar dos momentos de relaxamento, com a prática de atividades esportivas, entretenimento, além do convívio familiar, uma vez que o social está comprometido em função da pandemia. “É preciso foco e comprometimento para que as horas de estudo sejam muito bem aproveitadas, a fim de que o estudante consiga conciliar a preparação intensa com os momentos de lazer. Isso é muito importante para o bom desenvolvimento mental e emocional”, acrescenta.

Para o especialista, assim como no esporte, a preparação para vestibulares e provas que dão acesso às universidades demanda treino. “Quanto mais atividades e exercícios o estudante resolver, mais vantagem ele terá porque ele consegue constatar o que está fazendo certo, onde está errando e consegue enxergar os pontos que precisam de reforço e melhoria. Aqui entra em cena o exercício de autonomia e protagonismo do estudante, que certamente será bem recompensado se conseguir levar a cabo o plano traçado para o período de preparação”, finaliza.

Fonte: Central Press


Ver também:


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo