Esportes

Altobeli, Tatiane e Keila ganham ouro e Brasil soma 29 medalhas no Sul-Americano

Compartilhar

País tem 13 ouros, oito pratas e oito bronzes em competição que termina nesta segunda-feira (31/5), no Equador.

O Brasil conseguiu mais sete medalhas na manhã deste domingo (30/5) no Campeonato Sul-Americano Adulto de Atletismo, que termina nesta segunda-feira (31/5) no Estádio Modelo Alberto Spencer, na cidade de Guayaquil, no Equador. Agora, após a terceira etapa, a equipe soma 29 conquistas, sendo 13 de ouro, oito de prata e oito de bronze. A competição tem transmissão ao vivo do Canal Olímpico do Brasil.

Os atletas brasileiros conseguiram bons resultados nos 3.000 m com obstáculos. O paulista Altobeli Santos da Silva foi o campeão, com 8:34.17, seguindo em busca do índice olímpico (8:22.00). Carlos André San Martin, da Colômbia, ficou em segundo lugar, com 8:34.32, seguido do peruano Mario Bazan, com 8:36.71.

“Estou feliz com o resultado porque foi uma prova bem difícil, o clima, o ambiente… Graças a Deus cheguei ao objetivo que era o primeiro lugar. Não posso dizer que vou me qualificar pelo ranking para Tóquio porque tenho de esperar, mas é possível. Seria muito bom numa temporada que foi muito prejudicada pela pandemia”, comentou Altobeli, finalista dos 3.000 m com obstáculos nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

O Sul-Americano é uma boa oportunidade de os atletas tentarem os índices exigidos e acumular pontos importantes para o Ranking visando os Jogos de Tóquio. Além disso, os campeões do torneio asseguram vaga para representar o País no Campeonato Mundial de Oregon, na cidade norte-americana de Eugene, de 15 a 24 de julho de 2022.

Nos 3.000 m com obstáculos feminino, o pódio teve dobradinha brasileira. A paranaense Tatiane Raquel da Silva foi a campeã, com 9:38.71, com a catarinense Simone Pontes Ferraz, em segundo lugar, com 9:45.15. A argentina Belén Casseta ficou com o bronze, com 9:45.79 (é a recordista sul-americana da prova, com 9:25.99).

No salto triplo feminino, a pernambucana Keila Costa que tenta qualificação para a quinta edição dos Jogos Olímpicos da carreira, fato inédito no atletismo brasileiro, foi a campeã aos 38 anos. Venceu com 13,67 m (0.0), seguida da equatoriana de origem cubana Liuba Zaldivar, com 13,58 m (0.6) e da também brasileira Gabriele Sousa dos Santos, bicampeã do Troféu Brasil, com 13,45 m (0.7).

No salto em altura feminino, o ouro foi para a colombiana Jenifer Rodriguez, com 1,89 m. A brasileira Valdileia Martins ficou com a prata, com 1,86 m, seguida da equatoriana Joice Micolta, com 1,83 m.

No heptatlo, a colombiana Evelis Aguilar confirmou o favoritismo e venceu com 6.165 pontos, seguida de sua compatriota Martha Araújo, com 5.866, e da brasileira Raiane Vasconcelos, campeã do Troféu Brasil, com 5.821. Tamara Alexandrino terminou em quarto lugar com 5.655 pontos.

Na noite de sábado (29/5), depois de muita demora no anúncio dos resultados, o paulista Fernando Carvalho Ferreira ganhou a medalha de ouro no salto em altura, com 2,29 m, seguido do paulistano Thiago Júlio Moura, com 2,23 m. O argentino Carlos Lavoy ficou em terceiro lugar, com 2,17 m.

Fonte: CBAt


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo