News

Metade dos acidentes de trânsito em Curitiba envolve motociclistas, diz estudo do BPTran

Dos 1.426 acidentes na Capital, 745 envolveram motociclistas (52%). Dado mais preocupante é o aumento das mortes, que saltou de cinco nos quatro primeiros meses de 2020 para 13 neste quadrimestre.

Mais da metade dos acidentes de trânsito em Curitiba envolve motociclistas, segundo um alerta da Polícia Militar do Paraná. O estudo do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) aponta que o primeiro quadrimestre deste ano teve 1.426 acidentes na Capital e, destes, 745 envolveram motociclistas. Os números correspondem a 52,2% de todos os registros no período analisado.

O BPTran destaca que o dado mais preocupante é o aumento das mortes nesse tipo de acidente, que saltou de cinco nos quatro primeiros meses de 2020 para 13 neste quadrimestre. Os índices fortalecem a importância das ações educativas promovidas durante o Maio Amarelo, a exemplo da blitz feita na tarde da última sexta-feira (28), em Curitiba, que alcançou mais de 220 motociclistas.

Os 745 acidentes de trânsito dos quatro meses envolveram motocicletas, motonetas e ciclomotores e resultaram, além dos óbitos, em 629 pessoas feridas. Já no mesmo período do ano passado foram 633 feridos em 737 acidentes e cinco óbitos no local.

A média mensal de acidentes no comparativo do primeiro quadrimestre de 2021 e 2020 sofreu pouca alteração: de 184,2 para 186,2.

O balanço do BPTran indica que no quadrimestre deste ano as mortes mais frequentes foram entre os motociclistas. O estudo mostra que o principal prejudicado é o condutor da moto (12 de 13 das mortes), que têm idade entre 18 e 29 anos (seis dos 13 óbitos).

“Quem tem motocicleta e se envolve em acidente tem mais chances de se ferir do que os usuários de outros tipos de veículos, pois mesmo em acidentes em baixa velocidade os ocupantes da motocicleta vão ficar feridos e haverá danos”, afirmou a porta-voz da unidade, tenente Mayra Jaqueline Tonelli.

De acordo com a oficial, o aumento das mortes está ligado ao desrespeito à sinalização, excesso de velocidade e desatenção na condução por parte dos próprios pilotos.

A estatística evidencia que abril foi o mês mais violento do ano para o motociclista: foram 224 acidentes, 197 feridos e seis óbitos. Por outro lado, segundo a tenente, também se observa o descuido dos motoristas de outros tipos de veículos que acabam atingindo as motocicletas no trânsito.

“Diferentemente de um automóvel, em que o usuário possui itens de segurança mais robustos, como cinto de segurança e sistema de air-bag, para o motociclista há somente o capacete e o para-choque acaba sendo o próprio condutor”, disse a tenente.

EDUCAÇÃO E PREVENÇÃO – Durante o mês de maio, o BPTran reforçou o trabalho educativo com todos os usuários do trânsito urbano por conta da campanha Maio Amarelo, que neste ano está ocorrendo com foco na responsabilidade e no respeito dos cidadãos.

Uma blitz educativa de grandes proporções para alertar os motociclistas a adotarem mais medidas de segurança aconteceu na sexta-feira (28) no cruzamento da Avenida Senador Salgado Filho com a Linha Verde, no Prado Velho, em Curitiba. Além da PM, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Corpo de Bombeiros e os agentes do Detran também participaram da atividade.

Mais de 220 motociclistas foram abordados e receberam as orientações dos policiais e voluntários de motoclubes, além de materiais educativos, como uma antena corta fio, acessório de segurança importante para evitar acidentes com linha de cerol.

“Esta ação foi a maior que fizemos ao longo de toda a campanha justamente porque sabemos que se trata de um público que frequentemente está sofrendo acidentes e precisa se conscientizar sobre a importância de tomar cuidados e respeitar a sinalização para evitar acidentes e mortes”, afirmou a tenente.

DICAS  As principais dicas de segurança aos motociclistas são o uso do capacete que possua regulamentação do Inmetro; capacete afivelado e com a viseira baixada, para que em caso de acidente o rosto esteja protegido; evitar ultrapassagens de veículos em vias de grande tráfego; não ultrapassar o sinal vermelho; e não conduzir sob efeito de álcool.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo