Vídeos e Filmes

O Poderoso Chefão e as laranjas… Parte I

A simbologia nos filmes e seus supostos significados

Não é só de pipoca e refrigerante que é feito o cinema. As referências de comidas nos filmes é frequente e muitas vezes faz parte do roteiro e desenvolvimento da história contada na telona. Um dos maiores clássicos do cinema na onda da Nova Hollywood, que se iniciou no fim dos anos 1960, e que pode ser considerado também a maior trilogia já feita, a saga O Poderoso Chefão (The Godfather), dirigido por Francis Ford Coppola, contém diversos simbolismos e elementos de cena inquietantes, cuja presença causa furor entre os cinéfilos e fãs da séria, frutificando (literalmente) uma série de teorias e confabulações sobre a supostas intenções ocultas do autor.

Um dos elementos mais marcantes e percebidos por quem tem o hábito de rever as sequências de tempos em tempos (como esse que voz fala) é o aparecimento de laranjas em diversos momentos do filme, geralmente próximas ou nas mãos dos personagens.

Admiradores desejosos e motivados pela curiosidade e pela esperança de descobrir o significado oculto desta fruta e o que ela representa na história, levantaram várias teorias. Vários artigos foram escritos, uns supondo que as laranjas simbolizam a morte, que sobrevém para o personagem que entra em contato com elas, outros que concluem que essas são na verdade a materialização simbólica da nova vida que a América proporciona ao garoto, e depois patriarca da família mafiosa Vito Corleone (Marlon Brando), quando chega órfão e sozinho de navio em Nova Iorque.

Em minha contribuição como fã, digo que nos três filmes as laranjas representam o poder, a influência e a autoridade do chefe da máfia. Ela é a materialização visível e palpável desse poder criminoso. Elas surgem sempre próximo ou nas mãos de quem possui ou quer obter a liderança das famílias mafiosas nos Estados Unidos. O personagem que aparece em cena próximo, segurando, recebendo, descascando ou comendo é sempre o chefão naquele momento do filme, ou então, é aquele que que tem a intenção de usurpar e tomar o lugar como novo chefe.

O poderoso chefão parte I:

– Logo no início do filme as laranjas no cesto da mesa de festa de casamento aparecem sendo manipuladas pelo homem de confiança de Don Corleone, Téssio (Abe Vigoda), que deseja veladamente trair e matar seu chefe para conseguir para si o poder, intenção essa que é confirmada ao fim do filme quando ele é descoberto e executado como traidor.

– Quando Vito Corleone sofre um atentado a tiros na rua ele está comprando frutas, especialmente laranjas, de um vendedor de frutas na calçada. Vito recebe vários tiros no atentado que se segue, as frutas em seu poder caem e se esparramam pelo asfalto e pela calçada. Isso pode simbolizar a perda e esfacelamento iminente de seu poder e posição, pois, após isso, ele fica entre a vida e morte por um longo período no hospital.

– O filho de Don Corleone, Michael Corleone (Al Pacino) precisa fugir da América depois que mata um mafioso rival e um policial corrupto para vingar o atentado de seu pai. Ele se refugia numa pequena cidade no interior da Itália próximo a cidade natal do pai. Quando caminha e pára a fim de descansar em uma pequena taberna local existe lá colado na parede um grande cartaz com o desenho de uma laranja cortada ao meio. Isso pode significar que o poder da máfia de seu pai na América não está mais presente materialmente com ele, mas somente a imagem intangível, distante e só visível deste poder, uma representação em desenho de algo ausente naquele momento.

– Quando Don Corleone já recuperado do atentado brinca com seu neto pequeno ele tem a sua frente sobre uma mesinha de jardim laranjas, uma delas ele descasca para comer e usa pedaços da casca para colocar na boca e assustar de brincadeira o menino. Na sequência Don Corleone passa mal enquanto corre na brincadeira, e sofre um ataque cardíaco fulminante. Sua vida e poder estão despedaçados, assim como aquela laranja, naquele momento.

– Um dos filhos de Don Corleone, Sunny (James Caan) o mais velho, e por isso herdeiro natural do pai nos negócios, sofre um atentado fatal dentro de seu carro quando é parado numa cabine de pedágio. Pouco antes de chegar à cabine pode-se ver um grande outdoor contendo uma publicidade ilustrada com uma laranja. Desta maneira entende-se que Sunny não chega a herdar o poder, pois seu pai ainda está vivo no hospital, mas ele somente passa perto sem obtê-lo, assim como passa pela imagem do outdoor que o representa.   

O Poderoso Chefão Parte II :

– Quando o novo capo Michael Corleone já possui o poder sobre os negócios do falecido pai e recebe parceiros de negócios em seu escritório, um deles, Johnny Ola (Dominic Chianese) mafioso com negócios em Miami oferece uma laranja a Michel e diz que é “uma laranja da Florida”, como se isso indicasse que está oferecendo o poder dos negócios de Miami à Michael. Michael recebe a fruta de forma desconfiada, perguntando o que era aquilo, mas aceita e repassa a seu assistente que a guarda. Mais tarde, lá pelo fim do filme, já com quase todo o controle dos negócios dos adversários, ele descasca e a chupa a laranja enquanto discute com sua equipe como eliminar o restante de seus adversários.

– Quando Vito Corleone aparece já estabelecido na América, jovem, casado, pai de família, e trabalhando honestamente numa mercearia, não há nenhuma imagem das laranjas. Mais tarde ele é preterido de seu emprego pela indicação de Don Fanucci (Gastone Moschin), mafioso do bairro, que exige do dono da mercearia que empregue seu sobrinho. Obrigado a obedecer, o dono dispensa Vito mas na saída oferece uma caixa de mantimentos que incluem as frutas, mantimentos esses que Vito, estranhamente, não aceita, podendo isso significar que mesmo com o poder criminoso ao seu redor Vito prefere continuar honesto e honrado mesmo frente a injustiça que sofreu.

– Mas tarde, quando Vito, desempregado e aliciado a cometer pequenos roubos pelo bairro com mais dois colegas para sustentar a si e a sua família, Don Fanucci o procura para se apresentar e informar que ele deve dinheiro a ele para mantê-lo livre da polícia. Esse mesmo chefão se mostra depois altivo e soberbo andando pelas ruas com seu terno branco sendo reconhecido e cumprimentado por todos, parando nas barracas dos feirantes pegando livremente e mostrando orgulhosamente uma laranja em sua mão enquanto caminha, fazendo saber a todos que ele é o manda chuva da região.

– A mesma posição de chefão do bairro italiano passa para Vito Corleone quando ele mata o antigo chefão Don Fanucci. Vito aparece mais velho, de bigode, comprando laranjas na rua e recebendo-as de graça e voluntariamente do feirante, isto é, recebe de bom grado a autoridade merecida como o novo Capo, que não mais extorque os comerciantes, mas faz justiça aos vizinhos e aos “afilhados” usando o poder que agora possui.

O Poderoso Chefão Parte III:

-Duas principais aparições de laranjas ocorrem no meio do filme e na cena final. O pretendido sucessor de Michael é seu sobrinho bastardo Vincent Mancini (Andy Garcia). Quando os dois vão juntos para Itália para descobrir o nome oculto por trás de diversos atentados que sofrem nos Estados Unidos, Vincent manipula impacientemente uma laranja durante conversas entre seu tio e seu aliado mafioso local Don Tommasino (Vittorio Duse). E por fim, o já velho Don Michel Corleone sentando em uma cadeira de balanço morre silenciosamente e sozinho, enquanto se balança deixando cair uma laranja de sua mão.

-Nessas duas cenas o poder e autoridade estão mais uma vez ali materializados, pois Vincent quer impacientemente o poder para si, coisa que o Michael exita transferir pela impaciência e imaturidade do sobrinho. E o derradeiro fim da posição de Capo de Michael que involuntariamente perde definitivamente seu poder quando morre idoso e cansado. Um outro destaque no mesmo filme vai para o massacre de diversos chefões durante uma reunião geral da máfia, tiros de metralhadora, corpos caindo ensanguentados e laranjas se espalhando pelo chão, juntamente com o poder deles ali representado.

Várias outras aparições da fruta cítrica surgem, as vezes só como imagem, ou na forma de suco ou como enfeite de mesa, de forma prolongada ou só de relance, nos três filmes. Mas será que essas presenças na três sequencias foram propositais, estavam no script e eram pensadas pelo diretor, ou apenas fizeram parte do cenário por acaso, assim como outros alimentos que surgem no filme como: macarrão, molho de tomate, peras, salame, queijo, azeite, azeitonas, pão, licor e vinho?

Ver também:


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!


Print Friendly, PDF & Email

PFernandes

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo