Esportes

A Mercedes diz que é seu dever” dar a Hamilton um carro “onde seja mais difícil ele cometer erros”

Compartilhar

As Mercedes são famosas por não fazer rodeios quando se trata de consertar quaisquer problemas que encontrem. E depois do erro que viu Lewis Hamilton apertar seu botão de ‘freio mágico’ e custar a si mesmo o segundo lugar no Grande Prêmio do Azerbaijão, a equipe disse que as mudanças já estavam em andamento – e definidas para acontecer antes do Grande Prêmio da França.

Hamilton estava reiniciando a corrida da volta 50 em Baku – após a queda do rival Max Verstappen, que trouxe uma bandeira vermelha – quando, de acordo com a equipe, ele apertou um botão em seu volante que mudou seu equilíbrio de freio para frente, fazendo-o travar e patinar até o run-off da Curva 1.

O erro derrubou Hamilton de seu P2 no grid para P15 na bandeira quadriculada, com Sergio Perez, da Red Bull, que venceu a corrida – com o diretor de tecnologia da Mercedes, Mike Elliott, explicando como o incidente havia acontecido do lado de Hamilton.

“Lewis fez todas as coisas certas, ele colocou o carro no grid, desligou os vários botões e configurações que precisava para desligar, ligou aqueles que precisava para ligar e estava tudo pronto para começar a corrida corretamente ”, Disse Elliott, falando no canal da Mercedes no YouTube.

“Ele teve um início fantástico, colocou-se ao lado de Perez e, como ele e Perez estavam trocando de posição, Lewis desviou e, no processo de desviar, apenas apertou o ‘botão mágico’ e, infelizmente, ele não sentiu que tinha pronto. Então, ele não tinha consciência de que teria um problema”.

“No ponto em que ele freou, que era o ponto normal para ele frear, ele estava na posição em que mudou todo o equilíbrio do freio para a frente”, acrescentou Elliott. “O que colocou toda a carga nos pneus dianteiros e, como consequência, eles travaram e, a partir desse ponto, não havia nada que ele pudesse fazer a não ser ir de largura”.

O erro contribuiu para que a Mercedes deixasse Baku com zero pontos, a primeira vez que a equipe deixava de marcar desde o Grande Prêmio da Áustria de 2018.

Mas apesar de faltar pouco mais de uma semana para que a Mercedes W12 de Hamilton volte às pistas no Circuito Paul Ricard, Elliott disse que a Mercedes planejava ter uma solução alternativa para o heptacampeão a tempo do Grande Prêmio da França – com Elliott acrescentando que a falta de erros de Hamilton ao longo das temporadas de oito e poucos anos com a equipe tornou mais fácil aceitar o que aconteceu em Baku …

“Eu sei, falando com Lewis … que Lewis meio que se sente culpado pelo incidente”, disse Elliott. “Mas a realidade é que Lewis comete tão poucos erros e isso é o que realmente o diferencia de alguns dos outros pilotos.

“É nosso dever tentar dar a ele um carro onde seja mais difícil para ele cometer erros. Precisamos dar nossa parte nisso, ver como podemos melhorar isso e isso é algo que vamos colocar em prática para a próxima corrida”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo