Esportes

Em coletiva, Petrovic coloca vagas no Pré-Olímpico de Basquete masculino em aberto

Seleção Brasileira treina para amistoso na Polônia antes do embarque para a Croácia, sede do torneio no qual o Brasil tentará a classificação para Tóquio.

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (17.06), na Polônia, o técnico da Seleção Brasileira masculina de basquete, Aleksandar Petrovic, atendeu a imprensa ao lado dos jogadores Georginho e Alex Garcia. Durante 40 minutos, o técnico e os dois atletas falaram da primeira semana de preparação para o Pré-Olímpico e também sobre o desafio da busca por uma vaga em Tóquio 2020.

“Está totalmente em aberto tudo. Aqui, cada treino pode mudar. Eu acumulo todas as informações. Por respeito, por lesão, pelo protocolo de Covid-19, todos têm a vaga aberta para conseguir um lugar no time. Dependemos de não termos nenhuma lesão. É treinar bem, fazer os dois amistosos contra a Polônia e, a partir do dia 24, fazer os cortes que necessitamos para chegar a lista de 12 jogadores. Mas está tudo em aberto agora mesmo”, afirmou o treinador.

O Brasil estreia no Pré-Olímpico no dia 29 de junho, diante da Tunísia, às 15h, ao vivo no SporTV. E no dia 30 de junho, o rival é a Croácia, encerrando a primeira fase. Do outro lado da chave estão Rússia, Alemanha e México. Os dois primeiros de cada grupo avançam para as semifinais. A decisão será no dia 4 de julho, em Split.

Confira abaixo as principais respostas da conversa:

Alex Garcia

“Levo com naturalidade a minha função de defesa na Seleção. E gosto de fazer isso. Estou à disposição para o que a Seleção precisar. Essa parte defensiva eu fico muito feliz em carregar comigo, parar os jogadores adversários, para não complicar nossa caminhada.

“Já estive em situações boas e ruins em Pré-Olímpicos. Não podemos cometer erros defensivos. Nosso time tem que estar muito forte, na comunicação bem feita, entendido, para não cometermos erros. A nossa equipe é talentosa no ataque, mas precisamos defender muito para chegar no objetivo que é classificar para a Olimpíada. O que posso passar, principalmente para os mais novos, é essa atenção, essa força de vontade, o plus na defesa, pois sabemos que esse sacrifício vai nos render a vaga olímpica. O foco é esse e será isso que vou passar na quadra ou no banco. No ataque, o time é bem talentoso”.

“Essa mescla é importante, está acabando uma geração, tem outra beirando os 30, com experiência internacional, e está chegando uma com Georginho, Yago, Caio Pacheco. É uma mescla importante. Os mais velhos deixam os mais novos tranquilos para executarem o seu jogo. E, no geral, um aprende com o outro. E o objetivo é a gente montar esse grupo forte e se classificar para as Olimpíadas”.

Petrovic

“São seis dias aqui, dez treinos. Tudo saiu à perfeição. Só um problema pequeno que custará dois dias de treino ao Lucas Dias, por uma lesão no tornozelo, mas aceitamos que em três dias ele volta para a quadra. Bruno Caboclo chegou da França e no fim de semana falei com Huertas, dando dois dias a mais de descanso, pois o Marcelinho é um dos jogadores mais carregados da temporada por todos os compromissos com Tenerife. Mas Marcelinho sabe, tem todo o material de vídeos, jogos, regras defensivas, e penso que a começar a treinar com a gente, vai chegar a tempo para ter um bom ritmo para o Pré-Olímpico. Ele não joga contra a Polônia no primeiro amistoso. Agora, quero entrosar Bruno Caboclo e dentro de dois a três dias o nosso capitão, Huertas. Estou contente com todos os jogadores”.

“Quando você entra em quadra na FIBA, defender é essencial. Por isso, temos responsabilidade nas regras defensivas. Saindo bem armado atrás, na defesa, esse Brasil tem muitas qualidades atacando. Por isso, quero me garantir de situações que podem ajudar no Pré-Olímpico, em Split. O Pré-Olímpico é uma competição onde não há amanhã. Um jogo no dia 29. Não se pode falhar. Chutes de três podem entrar ou não. Podem ajudar a vencer. Mas, defensivamente, você precisa estar pronto para defender até a morte”.

“Já me pronunciei sobre as dispensas. Mas cada uma dessas quatro é diferente. Para mim, não é problema que um jogador como o Marquinhos, depois de tantos anos jogando a cada verão com a Seleção, se aposente. Para mim é algo natural. Tenho a sorte, olhando a quadra, Anderson Varejão, Alex, que é um fenômeno, erro ao falar a idade dele, mas parece ter 30 anos no máximo. Quero agradecer uma vez mais ao Alex. Quando vejo a progressão dos jovens, de Caio, de Yago, Georginho, Léo Demétrio, quando vejo o progresso diário deles, é algo que se nota diariamente. E por isso, Didi e Gui Santos precisariam estar aqui, pois aprenderiam muito mais aqui do que em qualquer outro lugar. Mas estou focado nos jogadores que estão aqui nas próximas duas semanas. Estou perfeitamente satisfeito como as situações se desenvolvem e estamos em boa situação. Um treino do Gui Santos com Alex, com Benite, valeria muito mais que dois, três meses de tática ou técnica individual para um jovem jogador, não sei onde, Minas, Estados Unidos. Por isso, estou um pouco contrariado, mas agora, o foco é ir em melhor condição para o Pré-Olímpico”

“Bruno Savignani, nosso auxiliar, acompanhou um torneio na Polônia com duas equipes que estarão em Split: Tunísia e Rússia. E vimos também amistoso da Eslovênia com a Croácia. Por isso, já temos as informações necessárias mínimas para os dois primeiros jogos. Agora, contra a Tunísia, o que me preocupar é que não vi os dois jogadores que encontrei há cinco anos, no mesmo Pré-Olímpico, em Torino. Muito importantes. Não sei por qual razão. Michael vai chegar. Vamos ver os demais. Mas o Brasil é favorito, pois o jogo começa 0 a 0, mas com a passagem dos minutos e a intensidade do jogo… A Tunísia tem cinco jogadores, mas o banco produz menos. Vamos colocar uma energia que depois de 40 minutos podemos dizer, o Brasil ganhou fácil. Não esperava esse resultado do Utah Jazz, perdendo para o Clippers sem Kawhi. Se o Utah perder, Bogdanovic vai se apresentar na Croácia, em caso contrário, não. Quando falamos, a Croácia está em casa, e teremos público no ginásio, 50%, cerca de 7 mil pessoas. Teremos uma quadra quente. Mas a Croácia sofre com jogadores com lesão. Que faltam. Mas, eu, sinceramente, não me preocupo com a Croácia no jogo do grupo. E sim numa possível final, que esperamos estar. Essa é a minha meta. Depois de vencer a Tunísia, não vou me preocupar muito com a Croácia. Vamos jogar para ganhar, mas não vou entregar situações antecipadas antes de uma hipotética final no dia 4 de julho”.

Georginho

“Entendo minha função na Seleção. Sei que no São Paulo tinha uma minutagem muito alta, e que precisava me poupar em alguns aspectos do jogo. Aqui, tenho que ser intenso na defesa. Esse é o nosso primeiro princípio. É um campeonato onde não temos abertura para erro. Se estiver em um dia ruim, a defesa precisa funcionar. Se fizer 70 pontos só, tem que tomar 50. Sei que vou ter que defender a posição 1, 2 e 3. Nos treinos, divido a armação com outro jogador. É uma responsabilidade dividida, mas não perco minhas características. Sei que minha intensidade tem que ser alta. Minha condição física é diferente, sou um armador mais alto, posso ser usado em diferentes posições principalmente defensivamente”.

“Eu e Yago temos uma amizade muito grande, desde que jogamos juntos em 2016 e 2017 no Paulistano. Ele é um cara muito talentoso, todos sabem disso. Estamos na mesma posição na Seleção e nos clubes, mas temos funções diferentes. Apesar da disputa, nos clubes é diferente. Na Seleção, um torce pela evolução do outro. Aqui, o único jeito de evoluir é fazer o outro melhorar também. Fazemos progressos juntos, cada um na sua função e ritmo. Temos uma diferença de altura, de velocidade no jogo, um ganha experiência com o outro, Rafa Luz, Huertas… Dividir a quadra com eles é uma oportunidade grande para seguir evoluindo como jogadores”.

Os Convocados:

Armadores

Georginho – São Paulo
Marcelinho Huertas – Tenerife-ESP
Rafa Luz – BC Nevžis-Optibet-LIT
Yago – Flamengo

Alas/Armadores

Caio Pacheco – Bahía Basket-ARG
Vitor Benite – Burgos-ESP

Alas

Alex Garcia – Bauru
Léo Meindl – Fuenlabrada-ESP

Alas/pivôs

Bruno Caboclo – Limoges-FRA
Lucas Dias – SESI Franca
Léo Demétrio – Flamengo

Pivôs

Anderson Varejão – Cleveland Cavaliers-EUA
Cristiano Felício – Chicago Bulls-EUA
Lucas Mariano – São Paulo
Rafael Hettsheimeir – Flamengo

Comissão técnica

Técnico – Aleksandar Petrovic
Assistente técnico – César Guidetti – Unifacisa Basquete
Assistente técnico – Bruno Savignani – Basket Ravenna-ITA
Assistente técnico – Léo Figueiró – Bauru Basket

Fonte: Confederação Brasileira de Basquete


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo