Mundo

Navio Geo Barents é autorizado a atracar na Itália com migrantes

Quatrocentas e dez pessoas foram resgatadas no Mediterrâneo há 7 dias.

O navio Geo Barents, da organização Médicos sem Fronteiras (MSF), com 410 migrantes a bordo, resgatados no Mediterrâneo central, foi autorizado a atracar no porto de Augusta, na Sicília, sete dias depois da sua primeira operação de salvamento.

A situação a bordo começava a ser preocupante, devido aos muitos dias e ao elevado número de migrantes resgatados. Nessa quarta-feira (16), a organização não governamental (ONG) insistiu na urgência de um porto seguro.

O Geo Barents, o único navio humanitário a realizar salvamentos atualmente no Mediterrâneo Central, fez sete operações de resgate em apenas 48 horas.

Entre os migrantes a bordo estão dez mulheres, uma delas grávida, além de 91 menores. Eles são procedentes de 21 países, incluindo Síria, Bangladesh, Etiópia, Eritreia e Sudão.

“Após sete dias de seu primeiro resgate, a Geo Barents recebeu um POS (porto seguro) para os 410 sobreviventes. Finalmente desembarcarão em segurança em Augusta, de acordo com o direito marítimo internacional. Um resgate é considerado concluído apenas quando as pessoas desembarcam em um local seguro”, relatou a ONG em suas redes sociais.

Neste momento, não existem navios humanitários no Mediterrâneo central, já que as autoridades italianas mantêm bloqueados por supostas irregularidades os navios Sea Eye 4, o Alan Kurdi, os Sea Watch 3 e 4 e o Open Armas, que está há nove semanas no porto siciliano de Pozzallo (sul).

As autoridades italianas poderão forçar a tripulação do navio do MSF a um período de quarentena de dez a 15 dias após a chegada a Augusta.

Fonte: Agência Brasil


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo