News

Vacina alternativa COVID falha no teste, diz AstraZeneca

Os esforços para desenvolver um tratamento para COVID sem vacina enfrentam um retrocesso, pois a terapia com anticorpos falha em proteger da infecção, de acordo com os ensaios.

Uma terapia alternativa de coronavírus usando anticorpos no lugar de uma vacina falhou em fornecer proteção contra os sintomas de COVID, disse o desenvolvedor da terapia na terça-feira.

A AstraZeneca anunciou na tarde de terça-feira que sua terapia de anticorpos contra o coronavírus AZD7442 falhou em fornecer um alto nível de proteção contra os sintomas de COVID em testes em estágio final.

O tratamento, que se baseia na combinação de dois tipos de anticorpos clonados – ou anticorpos monoclonais – tem como objetivo fornecer um método alternativo de combate ao coronavírus sem o uso de vacinas de mRNA.

No entanto, a empresa disse que o tratamento foi apenas 33% eficaz em comparação com um placebo na redução do risco enfrentado por pessoas expostas a indivíduos COVID-positivos de desenvolver sintomas do coronavírus.

O estudo de fase III foi conduzido nos EUA e no Reino Unido e incluiu 1.121 participantes.

A AstraZeneca disse que os resultados não foram estatisticamente significativos, sinalizando que a eficácia do tratamento em comparação com o placebo não foi grande o suficiente para descartar o acaso como a causa da disparidade.

Apesar do aparente fracasso da terapia no estudo, a AstraZeneca expressou confiança de que um maior desenvolvimento levaria a uma alternativa eficaz às vacinas.

Fonte: https://www.israelnationalnews.com


Ver também:


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo