Esportes

Em jogo eletrizante do Brasileirão, Palmeiras vence o Bahia com gol nos acréscimos

Em noite dos goleiros, Grêmio e Fortaleza empatam. Com gol no fim, Chapecoense arranca empate com o Athletico-PR.

O primeiro tempo no Allianz Parque foi de adrenalina pura. Palmeiras e Bahia fizeram um jogo com muitas chances para os dois lados e saíram para o intervalo com o placar empatado em 1 a 1. Logo aos cinco minutos, Gustavo Scarpa cobrou falta de longe e mandou uma pancada de perna esquerda para acertar o ângulo e colocar o Verdão na frente. O Esquadrão de Aço levou o mesmo tempo para deixar tudo igual. Aos dez, Rodriguinho cobrou falta na área, e Luiz Otávio surgiu entre os zagueiros para cabecear para o fundo das redes.

Depois, a partida seguiu movimentada. O Bahia levou perigo em cabeçada de Rodriguinho, parado em defesa de Jaílson. O Verdão respondeu com Luiz Adriano, que recebeu pela direita e chutou cruzado para boa defesa de Matheus Teixeira. Aos 22, outra jogada perigosa dos donos da casa: Danilo Barbosa finalizou livre após cruzamento de Roni e acertou a trave – mas a jogada já havia sido parada por impedimento. Matheus Bahia, que finalizou à esquerda do gol, e Rodriguinho, mais uma vez parado em Jaílson, criaram mais duas chances para o Tricolor.

As boas chances seguiram até a saída para o intervalo. Kuscevic e Gustavo Scarpa chegaram perto para o Palmeiras. E, já nos minutos finais, o Bahia pressionou e quase virou com Gilberto – que recebeu passe açucarado de Nino, mas não conseguiu finalizar – e com Thaciano, que tentou tocar por cobertura, mas viu Jaílson salvar os mandantes.

O Bahia voltou pressionando no segundo tempo e quase marcou com Rossi, que mandou na trave aos nove minutos. Depois, Maycon Douglas entrou no lugar de Rodriguinho e deixou o dele. Aos 26, chutou para fora e quase marcou. Mas, dois minutos depois, o atacante recebeu pela direita, passo fácil pela marcação e finalizou na saída de Jaílson para colocar o time baiano em vantagem. Mas a partida seguiu intensa e, na marca dos 32, Scarpa cobrou falta fechada, e Raphael Veiga desviou para voltar a empatar o placar: 2 a 2.

Mantendo o ritmo intenso visto desde o início da partida, as equipes seguiram em busca do gol. O Bahia tentou com Daniel, que recebeu passe de Rossi pela direita e acertou a trave. Depois, o Palmeiras teve boa chance com Gabriel Menino, que chutou cruzado e quase marcou. E, já na marca dos 46, Breno Lopes recebeu de Scarpa, ganhou a disputa com a zaga e finalizou para garantir a vitória ao Verdão: 3 a 2.

Chapecó e Felipe Alves defenderam pênalti e o duelo tricolor terminou sem gols na Arena do Grêmio
Maxi Franzoi/AGIF

O jogo começou bastante movimentado na Arena do Grêmio. Rafinha, antes mesmo do primeiro minuto, arriscou a finalização para o time da casa. Enquanto, aos três, Robson respondeu para o Fortaleza. Ainda antes dos dez minutos, a equipe gaúcha teve ótima chance com Douglas Costa, que limpou a marcação e bateu rente à meta adversária. Nos minutos seguintes, o ritmo do jogo diminuiu, mas voltou a acelerar no final da primeira etapa. Éderson, em duas oportunidades, assustou para o Leão do Pici. E, aos 43, Ferreira chegou para o Imortal, mas carimbou a trave. 

Depois do intervalo, a intensidade do final do primeiro tempo se manteve. Aos três, Kannemann aproveitou uma sobra dentro da área e quase marcou para o Grêmio. Do outro lado, Robson mais uma vez chegou para o Fortaleza, mas foi travado na hora exata por Rafinha. Já na marca dos 13 minutos, o camisa 7 do Leão foi derrubado dentro da área. Pênalti para os visitantes e cartão vermelho para Kannemann. Com a bola na marca da cal, Pikachu foi para cobrança, mas viu Chapecó acertar o canto e fazer a defesa. No rebote, a bola voltou para Pikachu, que mandou para fora. 

Tentando se aproveitar da vantagem numérica, o Leão voltou a assustar com David e novamente Chapecó evitou o gol. Pelo lado gremista, Diego Souza, aos 29, esbarrou em Felipe Alves. Seis minutos depois, o atacante do Imortal teve grande chance em cobrança de pênalti e dessa vez foi o goleiro do Tricolor cearense, que brilhou para evitar o primeiro em Porto Alegre. Aos 43, o Fortaleza criou uma última oportunidade com Pikachu, que não aproveitou.

Em Curitiba, Chape saiu na frente, sofreu a virada, e empatou o jogo com gol de Geuvânio já nos acréscimos: 2 a 2
Gabriel Machado/AGIF

O primeiro tempo em Curitiba foi de muita marcação e um gol para cada lado entre Athletico-PR e Chapecoense. A equipe catarinense saiu na frente aos 26 minutos, quando Fernandinho chutou de fora da área, a bola desviou no marcador e sobrou para Ignácio se antecipar ao goleiro Santos e mandar para dentro das redes. O Furacão chegou ao empate aos 36. Mancha escorregou, e Khellven aproveitou para receber livre pela direita, cortar para a perna esquerda e finalizar com sucesso: 1 a 1.

Em busca da virada, o Athletico voltou pressionando os visitantes no segundo tempo. Matheus Babi, aos seis minutos, pegou cruzamento e cabeceou com muito perigo, mas para fora. Depois, aos 11, Terans pegou sobra após cruzamento da esquerda e carimbou a trave da Chape. A blitz rubro-negra surtiu efeito na marca dos 14. Terans cobrou escanteio, e Thiago Heleno se antecipou à marcação para cabecear e decretar e virar para o Furacão. Depois, já aos 48, Kaio Nunes cruzou da direita, Geuvânio dominou na área e finalizou cruzado para marcar para a Chape e dar números finais à partida: 2 a 2.

Fonte: CBF


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo