Esportes

Newey faz história na Red Bull Racing há 15 anos

Adrian Newey criou carros campeões em três equipes da F1.

Não há como contar a história do sucesso da Red Bull Racing na Fórmula 1 sem passar pela figura de Adrian Newey. Um dos grandes projetistas que a categoria já viu em todos os tempos, o engenheiro inglês se juntou ao time austríaco há 15 anos atrás para iniciar uma parceria duradoura e de enorme sucesso, que resultou em quatro títulos de pilotos e quatro de construtores.A paixão de Newey por automobilismo vem de muito tempo, desde que se formou com honras de primeira classe em aeronáutica e astronáutica na Universidade de Southampton, em 1980. A partir de então, o filho do veterinário Richard e da motorista de ambulância Edwina passou a investir na carreira do esporte a motor.A primeira experiência foi na Fittipaldi, em papel secundário no time de engenharia. A partir de 1981, Newey começou a ganhar espaço na equipe March, como engenheiro de pista na F2, mas, especialmente, no IMSA, projetando seu primeiro carro e vencendo dois títulos da categoria americana de corridas de endurance.

Adrian Newey na fábrica da Red Bull Racing, em Milton Keynes (ING)
Adrian Newey na fábrica da Red Bull Racing, em Milton Keynes (ING)© Thomas Butler / Red Bull Content Pool

Um fato bastante comum com os pilotos aconteceu também com o projetista. Ele se destacou no IMSA e por isso ganhou oportunidade na Fórmula Indy. O chassi March 85C foi campeão em 1985, com Al Unser, além de ter vencido as 500 Milhas de Indianápolis, com Danny Sullivan. Em 1986, mais sucesso ao levar a temporada e a Indy 500 com Bobby Rahal, com quem construiu uma grande amizade.A Indy já estava conquistada e Adrian precisava partir para tomar a F1. O primeiro carro projetado pelo britânico saiu de sua prancheta em 1988, pela mesma March. O resultado foi ótimo pra uma equipe modesta, um sexto lugar no Mundial de Construtores e um sétimo entre os pilotos, com dois pódios do italiano Ivan Capelli. Adrian ficou por lá até 1990, quando o time passou a se chamar Leyton House, mas o passo adiante e histórico rolou em 1991, na Williams.”Se você me perguntar hoje se eu imaginaria chegar aonde aquele carro chegou, eu certamente diria que não, eu não imaginava”, diz Newey sobre o carro que Ayrton Senna afirmou, em 1992, estar “em outro planeta”.

Adrian Newey
Adrian Newey© Getty Images / Red Bull Content Pool

De quantos você lembra?Todos os 12 pilotos que já correram na Red Bull RacingFoi na Williams da histórica e controversa suspensão ativa que Newey se colocou no rol dos grandes da F1. É claro que ainda não com o tamanho que tem hoje, mas foi uma passagem absolutamente vitoriosa, com cinco títulos entre os construtores e quatro pilotos diferentes sendo campeões pelo time no período – Nigel Mansell, Alain Prost, Damon Hill e Jacques Villeneuve. Uma das eras mais dominantes que a categoria já viu, o grande auge da tradicional equipe britânica.O destino seguinte de Adrian foi a McLaren, lá ele passou quase uma década. O resultado absurdo da Williams não foi repetido, é verdade, mas simplesmente porque existiam Ferrari e Michael Schumacher em uma das parcerias de maior sucesso que a F1 já viu. Mesmo assim, Newey teve seus carros projetados conquistando títulos: Mika Hakkinen foi bicampeão e, em 1998, a equipe levou o Mundial de Construtores.E então veio a Red Bull Racing. Contratado no fim de 2005, primeiro ano da equipe, Newey abraçou outro projeto de enorme sucesso na carreira. Uma tentativa ousada de fazer a equipe escalar o pelotão em pouquíssimo tempo. E deu tudo muito certo. Depois de apenas acompanhar a equipe na primeira temporada, Adrian colocou sua marca no projeto de 2007 e os frutos foram colhidos rapidamente.”Era uma equipe iniciante e foi isso que realmente me atraiu. O primeiro objetivo era vencer corridas e então veríamos pra onde as coisas poderiam ir”, conta Newey. “Obviamente fomos muito além disso, o que é extremamente gratificante”, afirma.Pra clicar e assistirThe History of the Pit Stop45 minOpen The Doors20 minEm 2009 aconteceu a primeira vitória e um vice-campeonato em uma temporada em que Sebastian Vettel e a Red Bull Racing quase engoliram a Brawn GP, que começou o ano ganhando tudo. O título não aconteceu, mas estava bem claro quem eram os favoritos para o ano seguinte.

Adrian Newey e Sebastian Vettel no GP da Malásia em 2010
Adrian Newey e Sebastian Vettel no GP da Malásia em 2010© Getty Images / Red Bull Content Pool

Veio 2010 e a Red Bull Racing não apenas foi campeã, mas iniciou uma das maiores dinastias da história, emendando quatro títulos consecutivos de Construtores, um tetracampeonato de Vettel e um domínio que só foi encerrado com o novo regulamento, a chegada da Era Híbrida da F1, que viu o crescimento da Mercedes.Mesmo assim, a equipe nunca mais deixou de ser competitiva e, hoje, tem novamente um carro com potencial de título nas mãos. Em uma nova fase, Newey continua com o grau de excelência lá em cima, ainda que tenha uma missão desafiadora de projetar carros que não podem mais ser só ótimos, mas que se adequem perfeitamente a um estilo peculiar e extremamente agressivo de Max Verstappen, grande aposta do time na busca pela próxima taça.

Sergio Perez, Christian Horner, Adrian Newey e Max Verstappen
Sergio Perez, Christian Horner, Adrian Newey e Max Verstappen© Getty Images / Red Bull Content Pool

“Se você me pedisse pra escolher, a qualquer momento, entre Adrian Newey e Michael Schumacher, eu sempre escolheria Adrian. Ele é um cara desta magnitude, sabe sempre onde chegar e como chegar”, diz Christian Horner, chefe da Red Bull Racing.Newey mudou a sorte da equipe a partir do momento em que chegou. E, de tantas figuras emblemáticas na história da equipe, esta é uma que não há como se abrir mão. Aos 62 anos, o único projetista campeão por três times diferentes segue em alta.

Fonte: Red Bull Content Pool


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo