Esportes

Decepção com o P11 na Áustria, é um sinal do progresso da Williams, diz o chefe da equipe

George Russell chegou agonizantemente perto de marcar seu primeiro ponto para a Williams no Grande Prêmio da Áustria e, embora o CEO da equipe, Jost Capito, tenha ficado desapontado, ele disse que a decepção mostra o quão longe a equipe chegou.

A Williams não marcou nenhum ponto desde a Alemanha 2019, 37 Grandes Prêmios atrás, mas o resultado de Russell em 11º a partir de oitavo no grid trouxe-os bem perto no último fim de semana na Áustria, e o britânico tem feito uma série de corridas estelares, incluindo P12 na França , e uma qualificação de 10º lugar na Estíria que infelizmente levou a uma desistência.

CEO da equipe, Capito, disse que o fato de que “todos estão decepcionados” que Williams marcou apenas 11º e não melhor na Áustria foi um bom presságio.

“Estou muito desapontado e muito feliz que todos estejam desapontados porque quatro semanas atrás todos teriam triunfado pelo 11º lugar,” explicou. “O décimo segundo lugar na França foi fantástico e agora estar decepcionado com o 11º mostra o fogo da equipe e o entusiasmo que a equipe tem agora, que eles querem mais; eles não estão satisfeitos com um resultado que não entrega pontos”.

Questionado sobre se o P11 de Russell na Áustria foi melhor do que o P12 na França, Capito respondeu dizendo que ambos foram uma bela conquista, mas, mais importante, serviram como um emblema para o rápido aprimoramento da equipe.

“A França foi uma corrida fantástica para ele e esta foi uma corrida fantástica para ele, tal como aconteceu na semana passada [na Estíria]. Acho que se tivéssemos, como eu disse antes da rodada tripla, o que alcançaríamos nessas três corridas, todo mundo diria que você está completamente louco – nunca, nunca”.

“Agora estamos até decepcionados com esses resultados e acho que isso mostra o caminho que estamos levando com a equipe”, reiterou.

Com o Grande Prêmio em casa para Russell em Silverstone em breve, Capito o apoiou para outro resultado sólido, dependendo do clima.

“Depende muito das condições meteorológicas. Acho que todo mundo sabe agora que nosso carro é muito complicado em condições de vento e Silverstone é conhecido [por ser] muito ventoso!” ele disse.

“Eu acho que se estiver muito vento podemos ter dificuldades; se não estiver ventando tanto, podemos ter a chance de estar em algum lugar perto de onde estávamos aqui”, disse Capito.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo