Saúde

Inteligência artificial facilita detecção de cárie

Davi Clementino Carneiro, dentista e mestre em Ciências Odontológicas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), criou um método de detecção de cárie dentária por fotoluminescência. A técnica usa processamento digital de imagem com inteligência artificial. Realizado com o apoio de bolsa do Programa Demanda Social (DS) da CAPES, o protótipo já se iguala a instrumentos comercializados no mercado mundial.

Fale sobre o seu projeto de pesquisa e seus objetivos.
Apesar de Odontologia ser uma área majoritariamente clínica, direciono meus projetos para a elaboração e digitalização de ferramentas que possam colaborar ou inovar no cotidiano clínico e educacional relacionado à saúde, pela tecnologia da informação e suas subdivisões. Esse estudo específico começou pela observação dos instrumentos já existentes que auxiliam no diagnóstico de cárie, mas que ainda apresentam barreiras e dificuldades que impedem sua implantação para o cirurgião-dentista, sejam elas econômicas, geográficas ou de orientações de uso. A principal atividade relacionada ao profissional de odontologia diz respeito ao tratamento e prevenção da cárie dentária, então, é indispensável que avanços e aprimoramentos sejam feitos para o melhor diagnóstico à essa doença.

Como foi a execução do trabalho?
O grupo Labial, do qual faço parte, é coordenado por Fábio Sampaio e proporciona pesquisas e inovações em diversas áreas do conhecimento. Como faço parte do núcleo de tecnologia, sob supervisão e orientação de Raimundo Menezes, direcionamos nossos esforços para a análise de métodos alternativos que poderiam colaborar com o processo de detecção de cárie. O uso do aprendizado de máquinas se mostrou positivo em resultados para detecção de lesões desmineralizadas encontradas nas superfícies dos elementos dentários, o que nos direcionou para este projeto. A capacidade atual do protótipo já se iguala a instrumentos validados e comercializados globalmente para detecção de cárie, utilizando frações dos componentes necessários por estes.

Quais são os próximos passos para esse estudo?
O dispositivo passa por atualizações internas e aprimoramentos em seus módulos, para que possa não apenas realizar detecção de desmineralizações dentárias, mas quaisquer tipos de lesões intraorais.

Como o seu trabalho pode contribuir para a melhoria da vida das pessoas?
Infelizmente é comum que tecido dentário sadio seja retirado em decorrência de diagnósticos incorretos ou não documentados corretamente. Nosso foco é possibilitar melhores visualizações de estruturas e regiões passíveis de promover morbidade – ou já ativas – e responsáveis por sua presença.

Qual a importância do apoio da CAPES para o desenvolvimento do seu projeto?
A partir da parceria com a CAPES, foi possível ter acesso ao material necessário e desenvolver todo o cérebro da ferramenta. Mais que isso, tornamos o dispositivo portátil e direcionado para professores e cirurgiões-dentistas, para que possam ter tomadas de decisão diagnósticas mais adequadas.

Fonte: https://www.gov.br/capes


Ver também:

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

Como estabelecer metas de estudos.

 A educação de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar.


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo