Religiosidade

9 de Av e Napoleão Bonaparte

A seguinte história é contada por um dos mais conhecidos líderes franceses, Napoleão Bonaparte.

Uma vez, Napoleão estava viajando por uma pequena cidade judaica na Europa. Ele entrou em uma sinagoga. Lá ele viu uma visão incrível. Homens e mulheres chorando.

Eles estavam sentados no chão em banquinhos segurando velas enquanto liam livros. A sinagoga tinha um lustre elaborado, mas apenas algumas velas foram acesas.

Se não fosse as pequenas velas, a magnífica sinagoga estaria em completa escuridão. Era uma visão sombria e triste de se ver. Napoleão perguntou por que as pessoas estavam chorando e queriam saber o que havia acontecido aqui.

Um oficial francês judeu esclarecido disse-lhe que nada de novo e terrível havia acontecido. O povo judeu tinha o costume de se reunir uma vez por ano em um dia chamado nono dia da Av [9 de Av] , o dia que marca a destruição do Templo do povo judeu [e muitas outras calamidades].

Por duas vezes eles construíram um magnífico Templo em Jerusalém e ambos foram destruídos. Depois que seu Segundo Templo foi destruído, eles [os judeus] foram por todo o mundo e vendidos como escravos. Alguns escaparam e construíram suas casas em todo o mundo. De alguma forma, o povo judeu existe sem seu país e seu Templo.

Para recordar estes tristes eventos, eles se reúnem uma vez por ano na sinagoga. Lá eles jejuam, rezam e leem tristes escritos proféticos sobre a destruição de seu Templo e Terra. O que vemos nesta cidade está acontecendo em todas as comunidades judaicas.

Então, Napoleão Bonaparte exclamou: “Uma nação que chora e jejua por mais de 2.000 anos por sua Terra e Templo será certamente recompensada com seu Templo.”

Portanto, todo dia 9 de Av, o povo judeu se reúne para chorar, se lamentar e se lembrar da destruição dos Templos de Jerusalém e das marcantes tragédias que ocorreram nestes períodos de 9 de Av.

– Texto extraído dos ensinos Hassídicos.

Print Friendly, PDF & Email

Eliahu Hasky

Colunista para Israel em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais da região.
Botão Voltar ao topo