News

Dólar fecha estável, mas acumula alta de 1,86% na semana

Bolsa não acompanha mercado externo e cai após três altas.

A alta da inflação no Brasil fez o dólar fechar estável, após cair cerca de 1% durante a sessão. A bolsa de valores não acompanhou o mercado externo e fechou em baixa pela primeira vez após três altas consecutivas.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (23) vendido a R$ 5,211, com recuo de apenas 0,05%. A cotação começou o dia em queda, chegando a R$ 5,16 na mínima do dia, por volta das 12h. A partir daí, a volatilidade no mercado empurrou a moeda para cima, atingindo R$ 5,23 por volta das 16h. Nos minutos finais de negociação, o câmbio arrefeceu, fechando próximo da estabilidade.

A divisa acumulou alta de 1,86% na semana. A valorização chega a 4,77% em julho e soma 0,42% no acumulado de 2021.

O dia também foi marcado pela volatilidade no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou a sexta-feira aos 125.053 pontos, com queda de 0,87%. O indicador chegou a operar em alta nos primeiros minutos de negociação, mas caiu de forma consistente no restante do dia.

Esta foi a primeira queda da bolsa após três dias seguidos de ganhos. O indicador destoou das bolsas norte-americanas, que voltaram a bater recordes. Na semana, o Ibovespa acumula perda de 0,72%.

A divulgação de que a prévia da inflação acelerou em julho provocou instabilidade no mercado brasileiro. Neste mês, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) ficou em 0,72%, a maior variação para o mês desde 2004.

A alta da inflação aumenta a pressão para que o Banco Central eleve os juros em um ritmo maior que o das últimas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom). Nos últimos encontros, a taxa Selic (juros básicos da economia) tem sido elevada em 0,75 ponto percentual. A próxima reunião do comitê ocorre em 3 e 4 de agosto.

A decisão do Banco Central da Rússia de aumentar os juros básicos em 1 ponto percentual diminuiu o interesse dos investidores pelo real brasileiro. Paralelamente, a expectativa com a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas) nos Estados Unidos no segundo trimestre e da inflação na economia norte-americana, prevista para a próxima semana, pressionou o mercado em países emergentes, como o Brasil.

Fonte: Agência Brasil


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joabson João

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo