Esportes

“Não me sinto com 40”, diz o aniversariante Alonso

Dezoito anos depois de sua primeira vitória na F1 no Grande Prêmio da Hungria de 2003, Fernando Alonso está de volta ao Hungaroring para comemorar seu 40º aniversário – um marco que o bicampeão admitiu que até ele ficou surpreso ao alcançar.

Alonso estava falando antes do Grande Prêmio da Hungria de 2021, quando lhe perguntaram como se sentia ao chegar aos 40 – o que o tornou o segundo piloto do grid, depois de Kimi Raikkonen, a correr na F1 na casa dos 40 anos. “Sinto-me bem”, respondeu Alonso.

“Não me sinto com 40 com certeza. É o número, mas também me surpreende quando o vejo, quando vejo tudo no motorhome, porque a equipe preparou uma decoração muito bonita no meu quarto e também no almoço. É um número maior do que o que sinto, mas é assim que é”.

GettyImages-2436148.jpg
Alonso comemora sua primeira vitória na F1 na Hungria em 2003

Questionado, entretanto, se imaginava, ao vencer aquela primeira corrida”da Renault em Hungaroring, em 2003, que ainda estaria competindo na F1 aos 40 anos, Alonso respondeu: “Não, provavelmente não.

“Você vive apenas o presente, não está pensando muito no futuro nessa idade e está focado apenas no fim de semana de corrida. Você não pode se imaginar mais de dois ou três anos a partir daquele momento.

“Agora é uma coisa diferente, estou mais acostumado com o esporte, com a Fórmula 1 e com as coisas que são únicas aqui. Quando entrei no esporte, eu era de uma cidade muito pequena no norte da Espanha, sem experiência, sem formação, sem nada e então você chega a este mundo e fica chocado por cinco, seis, sete anos até você acostumar com tudo”.

“Agora é um pouco diferente. Você sabe como são as coisas e estou gostando um pouco mais”.

Foi apropriado que ao lado de Alonso na coletiva de imprensa de quinta-feira na Hungria estivesse um dos grandes rivais da carreira do espanhol, o atual piloto da Aston Martin Sebastian Vettel, com quem Alonso lutou cara a cara pelos títulos em 2010 e 2012.

E Vettel passou a elogiar Alonso como um dos maiores talentos naturais do esporte.

“Na primeira corrida que Fernando voltou este ano, tínhamos batido roda a roda, e eu estava realmente sorrindo,” disse Vettel, “porque estava ansioso por mais este ano”.

“Eu sempre gosto de [correr] Fernando”, acrescentou Vettel. “Ele ganhou aqui em 2003 [e] eu estava na frente da TV e lembro quando ele ganhou. Acho que o talento dele é, sem dúvida, as habilidades na pista uma das maiores que o esporte já viu, e ele fez algo que eu pensei ser impossível de fazer, que é vencer o Michael, porque quando eu cresci, era como, Michael é o número um e impossível de vencer – e Fernando começou a vencê-lo”.

“Acho que é uma conquista e obviamente ele tem uma carreira tão longa, tantos carros diferentes, então considero um prazer correr ao lado dele e lutar com ele na pista”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo