News

Talibã admite que matou comediante afegão depois que vídeo mostrando sua captura e assassinato se tornou viral

Os responsáveis pela captura e assassinato do comediante foram presos e serão julgados em um tribunal do Talibã, disse um porta-voz do grupo insurgente.

O Talibã admitiu o assassinato de um famoso comediante da região sul do país depois que um vídeo dele sendo esbofeteado por dois homens não identificados em um carro se tornou viral, levantando preocupações generalizadas sobre o aumento das atrocidades cometidas pelo grupo insurgente.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, reconheceu que os dois homens no vídeo eram membros do grupo insurgente. Na semana passada, relatos da mídia local afirmaram que Nazar Mohammad também conhecido Khasha Zwan, foi pego pelo Talibã em sua casa e morto a tiros.

No entanto, inicialmente, o grupo negou qualquer envolvimento no assassinato do comediante. Mas depois que o vídeo de sua captura e humilhação se tornou amplamente conhecido o grupo insurgente admitiu o crime. Ainda de acordo com  Zabihullah Mujahid os responsáveis pela morte foram presos e serão julgados em um tribunal do Taleban.

Ele também acusou o comediante de ser membro da Polícia Nacional Afegã e ter participado de torturas e assassinatos de homens talibãs. Ele acrescentou que o Talibã deveria ter prendido Nazar Mohammad e o levado a julgamento, em vez de matá-lo.

Nazar Mohammad um cômico amplamente conhecido por suas piadas grosseiras, canções engraçadas e por tirar sarro de si mesmo na internet também serviu anteriormente na polícia de Kandahar.

Artistas e personalidades proeminentes do Afeganistão expressaram suas condolências pelo assassinato na internet, ao mesmo tempo que levantaram preocupações sobre o futuro do Afeganistão, com as atividades do Talibã se intensificando nos últimos meses, logo após as tropas americanas iniciarem sua retirada final do país.

Segundo consta, centenas de pessoas estão detidas pelo Talibã em áreas que foram invadiram. Escolas foram queimadas e surgiram relatos de restrições impostas às mulheres, semelhantes às impostas quando os insurgentes governaram o Afeganistão pela última vez. Naquela época, eles haviam negado às meninas o acesso às escolas e impedido as mulheres de trabalhar.

Com informações de The Independent


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Fernanda da Silva Flores

Fernanda da Silva Flores possui graduacao em Historia pela Universidade Norte do Parana (2018) e pos-graduacao em Gesto Educacional (2019) pela mesma instituicao. É correspondente para o Duna Press desde fevereiro de 2020 cobrindo assuntos referentes a direitos humanos e realeza com foco no Oriente Medio.
Botão Voltar ao topo