Esportes

Lutar no meio-campo é “muito mais difícil” do que liderar uma corrida, diz Ocon

Depois de vencer seu primeiro Grande Prêmio de Fórmula 1, Esteban Ocon da Alpine disse que é mais fácil ser um líder do que um seguidor, dizendo que sua vasta experiência de luta no meio-campo o preparou bem para correr na frente do GP da Hungria.

Ocon liderou as primeiras voltas de sua carreira na Fórmula 1 no domingo, com 65 das 70 lideradas por ele, três por Lewis Hamilton e duas pelo companheiro de equipe Fernando Alonso.

Questionado se se sentia ‘enferrujado’ ao liderar uma corrida, visto que sua última vitória em um monoposto foi na abertura da GP3 Series 2015, Ocon respondeu: “Não, não me senti enferrujado e lamento desapontá-lo, mas é mais fácil lutar na frente como fizemos agora, para administrar os adversários que estão atrás, do que lutar no meio-campo como estamos [normalmente] fazendo. Isso é muito mais difícil. Então, você sabe, tivemos um bom treinamento o tempo todo”.

Com o tetracampeão Sebastian Vettel atrás dele, o francês comentou que era difícil ter Vettel atrás, mas admitiu que estar no ar limpo o ajudou a ficar à frente do piloto que estava eventualmente desclassificado do P2″.

“A luta no meio-campo é bem mais dura do que está acontecendo na frente”, reiterou. “Foi difícil com Seb colocando muita pressão, ele me deu um trabalho difícil, mas você sabe, quando você está à frente, você tem ar puro. Você é quem está ditando o ritmo”.

Ocon conquistou o P2 no início da corrida, quando as colisões da primeira volta eliminaram cinco pilotos, mas disse que pensou que errou ao parar nos boxes para por pneus de seco na volta de formação de reinício, enquanto o então líder Lewis Hamilton permaneceu com seus intermediários. No final das contas, Ocon estava certo e Hamilton teve que ir para os boxes na volta seguinte, deixando-o no fundo do campo.

“Lewis normalmente não toma decisões erradas nunca, eu nunca o vi tomando uma decisão errada, então ir para os boxes quando você está no P2 na pista, é um pouco de partir o coração no começo, mas fico feliz que tenhamos feito isso porque estávamos muito à frente e sim, os caras também fizeram um ótimo pit stop”, disse ele.

E o piloto da Alpine admitiu que se Vettel não tivesse feito um pitstop lento na volta 36, ​​ele teria sido prejudicado pelo piloto da Aston Martin: “Ouvi você dizer que Sebastian fez uma parada lenta, é provavelmente o que fez a diferença”, acrescentou Ocon.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo