Esportes

Grosjean se sente em casa em Indianápolis

Ele terminou em segundo lugar no No. 51 Nurtec ODT Honda, empatando seu melhor resultado da carreira em segundo no GMR Grand Prix de maio no mesmo circuito. Seu desempenho em maio foi um pouco mais forte, tendo conquistado o prêmio NTT P1 pela pole e liderando o recorde da corrida em 44 voltas.

Desta vez, Grosjean largou em terceiro e correu novamente entre os cinco primeiros durante todo o dia. Grosjean usou seu push-to-pass no início da corrida, então quando ele alinhou em terceiro no reinício da volta 71, ele só foi capaz de passar Colton Herta no No. 26 Gainbridge Honda. Grosjean terminou 1,1142 segundos atrás de Power.

Grosjean disse que poderia ter conquistado a pole se não tivesse cometido um erro nas curvas 8 a 10 da qualificação, e ele acredita que se a corrida tivesse ficado em bandeira verde até o final, ele poderia ter tido a chance de pegar Power campeão da NTT IndyCar Series em 2014.

“Acho que na última passagem fomos mais fortes do que ele”, disse Grosjean. “Acredito que voltamos ao jogo nas duas últimas passagens, e ele ainda tinha 70 e poucos push-to-pass restantes quando eu estava em zero nas últimas voltas. Eu sabia que ia ser apertado e seria difícil. Mas acho que fomos um pouco mais rápidos durante a corrida do que ele”.

Com dois segundos lugares, Grosjean claramente tem um talento especial para correr no circuito de estrada IMS, que tem uma superfície lisa e curvas planas que ele está acostumado desde seus dias de Fórmula 1.

Agora, Grosjean irá de sua melhor pista de corrida e a mais alta das alturas para sua primeira corrida oval e o que pode ser um fim de semana desafiador na World Wide Technology Raceway perto de St. Louis.

Grosjean testou na pista em 27 de julho, fazendo 166 voltas. O francês ficou imediatamente impressionado com o quão desafiador era dirigir em um oval. Embora tenha um grande desafio pela frente, Grosjean está ansioso para tentar algo que é completamente novo para ele e sabe que pode lutar.

“Acho que vai ser uma ótima experiência”, disse ele. “Eu quero ver como está indo. Todo mundo parece estar gostando de ovais ali. Ainda prefiro percursos de estrada, mas gosto de travar tarde. Mas estou ansioso por isso e ver o que podemos tirar disso”.

Fonte: NTT IndyCar


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo