News

Por que uma empresa israelense está trabalhando em uma vacina oral?

Entre as vantagens: logística reduzida para campanhas de vacinação, menos resíduos de plástico e potencialmente menos efeitos colaterais.

Imagine uma vacina Covid em forma de pílula: sem necessidade de injeção ou de pessoal médico, e possível entrega em domicílio.

Isso é o que a empresa farmacêutica israelense Oramed está tentando fazer , que deve lançar seu primeiro ensaio clínico “no início de agosto” por meio de sua subsidiária Oravax, disse seu chefe, Nadav Kidron, à AFP.

Com apenas 15% da população mundial totalmente vacinada, a luta contra a pandemia está longe do fim.

As vacinas orais são de particular interesse para os países em desenvolvimento porque facilitam a logística das campanhas de imunização, disse Kidron.

Mas também podem impulsionar a imunização em países ricos, onde o medo das injeções é um fator, muitas vezes despercebido, na relutância em ser vacinado.

De acordo com uma pesquisa recente, quase 19 milhões de americanos que não desejam ser vacinados concordariam em fazê-lo em forma de comprimido, se houvesse a opção.

“Para que a vacina funcione realmente bem, o maior número possível de pessoas precisa tomá-la”, diz Kidron.

Outros benefícios incluem menos resíduos de plástico e potencialmente menos efeitos colaterais.

Apesar dos pontos positivos teóricos, poucas vacinas orais tiveram sucesso porque os ingredientes ativos tendem a não sobreviver à medida que passam pelo trato digestivo.

Entre as vacinas que fogem a essa regra, estão as para doenças transmitidas pela boca ou pelo aparelho digestivo; há, portanto, uma vacina oral eficaz contra a poliomielite.

A Oramed, fundada em 2006, acredita que superou obstáculos técnicos ao desenvolver uma cápsula capaz de sobreviver ao ambiente altamente ácido do sistema digestivo.

Muito antes da pandemia, desenvolveu esta tecnologia para a entrega de ”  insulina oral “, explica Kidron, referindo-se ao medicamento vital para diabéticos que até agora só era administrado por via injetável.

De acordo com a empresa, sua técnica, desenvolvida com o Prêmio Nobel de Química Avram Hershko, que faz parte de seu comitê consultivo científico, protege a insulina oral com uma cápsula cujo revestimento se degrada lentamente.

A cápsula também libera moléculas que impedem que as enzimas ataquem a insulina no intestino delgado.

Esta insulina oral foi testada em centenas de pacientes em ensaios clínicos nos Estados Unidos e está atualmente na “fase III”, a mais avançada; a empresa usa o mesmo mecanismo para sua vacina oral contra a Covid, desenvolvida por sua subsidiária Oravax.

Partículas

Para provocar uma resposta imunológica, os cientistas da empresa desenvolveram partículas sintéticas semelhantes ao coronavírus.

Eles imitam as estruturas-chave do patógeno: a proteína “Spike”, a proteína do envelope e a proteína da membrana.

A maioria das vacinas licenciadas atualmente, como Pfizer ou AstraZeneca, são baseadas na proteína Spike sozinha, tornando-as menos eficazes com o tempo porque a proteína Spike do vírus sofre mutação.

Ao atingir várias partes do vírus, a vacina de Oravax pode ser resistente a variantes, disse Kidron.

A empresa solicitou permissão para lançar testes em vários países, como a África do Sul, e espera começar o primeiro em Israel dentro de algumas semanas, se o ministério da saúde permitir.

Kidron diz que prevê um papel para a vacina primeiro nos países em desenvolvimento que ainda não compraram o suficiente das vacinas atuais.

Se funcionar, também representará esperança para futuras vacinas orais, acrescenta. “Imagine … a vacina contra a gripe chega até você pelo correio, você pega e acaba.”

Fonte: https://fr.timesofisrael.com


Ver também:

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

Como estabelecer metas de estudos.

 A educação de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar.


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo