Esportes

“Sinceramente, não gostei nada, não andei nada”, diz Sainz

Foi uma mistura de sentimentos para a dupla da Ferrari, Charles Leclerc e Carlos Sainz, no Grande Prêmio da Holanda, com o primeiro satisfeito com seu ritmo a caminho do quinto lugar, mas seu companheiro de equipe perdeu para explicar por que caiu para trás em Zandvoort.

Leclerc ficou frustrado consigo mesmo após a qualificação, pois sentiu que P4 era possível com o carro que ele tinha e ele aceitou que seria complicado progredir em um circuito onde as ultrapassagens são um desafio. E assim ficou provado, com Leclerc rastreando Gasly durante toda a corrida, cruzando a linha em quinto, que aliás é a mesma posição que ele terminou em sua última aparição em Zandvoort ao competir na F3 europeia em 2015.

“Estou feliz com o ritmo, não completamente feliz com P5 porque acho que se tivéssemos feito um trabalho melhor ontem na qualificação e eu tivesse feito a volta, acho que o quarto lugar estava definitivamente nas cartas,” disse ele. “Em termos de ritmo, fomos os melhores no meio-campo, mas foi difícil mostrar isso hoje porque estávamos lutando para chegar mais perto de Gasly do que isso”.

Sainz teve uma tarde mais difícil, lutando para acompanhar o ritmo de Leclerc e depois perdendo uma posição para o compatriota Fernando Alonso na última volta para terminar em sétimo.

“Sinceramente, não gostei nem um pouco, apenas deslizei”, disse ele. “Honestamente, não tive ritmo no carro hoje. Não me senti em casa com ele em comparação com o resto do fim de semana. Por algum motivo Eu estava muito longe em termos de sentimento”.

“É algo para analisar porque é a primeira vez que acontece este ano onde realmente não me encontro e passo a corrida inteira a derrapar e a lutar pelo ritmo e no final estava apenas a lutar pelos pneus”.

“Foi muito, muito estranho. Honestamente, é um grande quebra-cabeça no momento, porque não sei para onde foi o ritmo e tenho quase certeza de que havia algo acontecendo que preciso examinar. Espero que possamos descobrir o que aconteceu antes do próximo fim de semana”.

A notícia positiva para a Ferrari foi que uma sólida soma de pontos ajudou a colocá-la acima da McLaren no campeonato de construtores, abrindo uma vantagem de 11,5 pontos. “Sim, isso é bom para a equipe”, acrescentou Leclerc.

“Isso é exatamente o que precisávamos neste fim de semana. Sempre que sabemos que a McLaren está lutando um pouco mais, é aí que precisamos aproveitar essas oportunidades e colocar os dois carros nos pontos e isso é o que fizemos hoje”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo