Opinião

Hoje é 7 de Setembro. São 199 anos de nossa Independência

Em 1822 ela foi iniciada, mas outros tentaram e lutaram por ela bem antes. Cada grupo em sua região, sim com independências regionais em MG, RJ, BA, PE, buscando mudar as tristes realidades em que se encontravam. As insatisfações já vinham de bem antes…

Naquele momento, em 1822, o regente D. Pedro conseguiu coordenar e retirar o julgo lusitano, enfrentou os insatisfeitos com a separação e conseguiu garantir o Brasil unificado. Era o início de uma nova etapa.

Mas foi um movimento elitista? Manteve a escravidão? Permaneceram exclusões e desigualdades? Estávamos financeiramente abalados? Sim. Tudo isso ocorreu. Seguimos no século XIX em novas veredas e com muitas dificuldades. Com os regentes assumindo, após sua saída, o país fervilhou revoltas de insatisfações antigas e novas. Foram reprimidos, mas não permaneceram calados! Não tiveram seus problemas sanados. Antecipar a coroação do adolescente D. Pedro foi feita e, assim, buscar um novo fôlego e manter o país sem mais perdas de território…

D. Pedro II buscou criar uma identidade para o Brasil. Para isso fez muitas ações e dentro do II Reinado vimos também muitos fatos e realidades de modernização, medidas sociais, políticas e econômicas. Mas não conseguiu resolver os maiores problemas. A desigualdade virando um abismo cada vez maior, mesmo com a riqueza proveniente do Café. Em 1888 encomendou o famoso quadro da Independência e o artista o fez imponente, opulento, magnânimo, ou seja, o mais belo possível. Nele, vemos tantos erros ao olhar o 7/9/1822, mas ali se quis ilustar a grandeza e o valor daquele fato e não detalhes realistas do dia 07/09/1822… Assim pensou o governo. Hoje, ele é uma fonte histórica importante, até para nós o reinterpretá-lo.

Em 1889 teve início outro projeto. Retiraram a família Imperial, a monarquia e novo rumo de país se buscou, mas seguia os velhos problemas em relação ao povo. Colocaram remendos novos em panos velhos… Isso funciona na costura? Não. Também não fem bem ao Brasil. Aqueles problemas que motivaram revoltas, que oprimia a população, que não garantiam plenos direitos e vida digna. Eles continuaram.

O século XX é marcado por tantas questões positivas e negativas que seria necessário outro texto bem grande só para isso. Grandes avanços em alguns campos e também retrocessos diversos. Mantivemos nossa Independência, mas ainda somos tão dependentes de tantas coisas, imaturos, egoístas…

Chegamos ao século XXI e, hoje, VOCÊ pode me ajudar a escrever esse texto, mostrar que essa independência que, em breve completará 200 anos (2022), não pode ser apenas de papel e tinta…

Mesmo que hajam coisas em nossas vidas, em nossa região, cidade e estado que não estão boas, lembre-se que o Brasil é a soma de todos nós e essa independência também é nossa! Somos parte dessa imensa engrenagem. Não se cale. Não se acomode. Não desanime!

Independência é isso. É querer ir além, avançar distâncias, mas nem sempre é fácil. Até nós mesmos passamos por isso!

Continue levantando sua voz para nossa valoroso Hino e também para cobrar melhorias! Use suas mãos para segurar nossa bandeira e para mostrar sua postura frente aos problemas! Use seu coração para buscar o bem pela Nação e também para enxergar em todos os brasileiros que eles são juntamente com você os verdadeiros Agentes da História!

Há muito o que fazer!
Cidadania é mostrar que estamos ativos!
Democracia é buscar sempre o melhor para todos e não para poucos.
Continue lutando pelo nosso país!
Viva a nossa História!

(Prof. Juberto Santos/RJ)
@jubertosantoos

Este brilhante texto é do Professor e Historiador Juberto Santos, meu querido amigo JUJU. Ele mostra realmente o sentimento que precisamos ter em relação ao nosso Brasil e a luta que travamos hoje.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo