Esportes

Russell lamenta “muitos erros” no GP da Holanda, mas diz que decepção mostra o progresso da Williams

Depois de pontuações consecutivas que incluíram um primeiro pódio na Bélgica, George Russell admite que a decepção por não ter marcado em Zandvoort mostra o quão longe a Williams chegou.

Russell largou de 11º no grid da Holanda, tornando-se o carro líder com escolha livre de pneus e bem posicionado estrategicamente. No entanto, ficar atrás de Antonio Giovinazzi na primeira passagem manteve Russell fora dos pontos e um erro ao entrar no pit lane o viu pego em alta velocidade e deu uma penalidade de cinco segundos.

“Eu estava simplesmente atacando”, disse Russell. “Tive o António cerca de um segundo e meio à frente e sabia que a única forma de o vencermos nesta corrida era se o vencêssemos nas paragens. Eu exagerei, mas no final das contas isso não mudou realmente a nossa corrida”.

“Teríamos terminado em 12º se não fosse por um problema na caixa de câmbio no final, mas com uma penalidade de cinco segundos [Lance] Stroll teria acabado de terminar na frente. Então, no final das contas, não tinha ritmo, mas da mesma forma eu diria muitos erros em meu nome neste fim de semana”.

“Mas, em nossa posição, temos que dar 120% a cada segundo porque se deixarmos margem em qualquer área, sabemos que não temos o carro para pontos, mas se continuarmos pressionando e maximizarmos absolutamente tudo, vamos sair com pontos como temos nas duas últimas corridas’.

“Portanto, é um equilíbrio difícil de ser alcançado em nossa posição, que estou gostando, mas provavelmente não foi um fim de semana bom o suficiente aqui”.

Hungria e Bélgica renderam um total de 13 pontos para Russell, mas um problema na caixa de câmbio o fez se retirar nos estágios finais em Zandvoort. Embora o recente sucesso o tenha deixado ansioso por mais, também diminuiu um pouco a pressão, com a Williams agora 17 pontos à frente do Alfa Romeo na classificação de construtores.

1338490526
Além de uma penalidade de tempo durante a corrida, Russell cometeu um erro na qualificação que o viu bater nas barreiras no Q2

“No início da temporada, se tivéssemos terminado a corrida em 12º, provavelmente teríamos ficado muito contentes com isso. E aqui estamos decepcionados. Obviamente não terminamos em 12º, mas teríamos terminado em 12º ou provavelmente 13º com a penalidade. Acho que está mostrando o progresso que fizemos”.

“Tivemos praticamente o mesmo carro de corrida durante toda a temporada, mas realmente melhoramos a afinação, como trabalhamos como equipe e tudo o que fazemos nos bastidores. E do meu lado estou melhorando e trabalhando nos pontos fracos que tive – a primeira volta é um deles – e estou me sentindo cada vez mais confiante semana após semana”.

“Agora que temos essa grande quantidade de pontos, acho que estamos dispostos a ir um pouco além para tentar fazer de novo, enquanto antes talvez houvesse um pouco de pressão quando estávamos naquela oportunidade de marcar pontos quase não para estragar tudo”.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo