Esportes

A 150 dias de Pequim 2022, Brasil tem três vagas garantidas e vai em busca de mais

Delegação pode estar representada em até nove modalidades; Cerimônia de Abertura será realizada no dia 4 de fevereiro, no lendário Ninho de Pássaro.

O relógio olímpico não para, faltam exatamente 150 dias para o Brasil estar representado na Cerimônia de Abertura de Pequim 2022. Mais precisamente em 4 de fevereiro, terá início a 9ª participação brasileira em Jogos Olímpicos de Inverno. O evento já é histórico antes mesmo de começar porque pela primeira vez uma cidade que já abrigou os Jogos de Verão, em 2008, sediará também a edição de inverno. Uma das estruturas que será reutilizada é o lendário Ninho de Pássaro, palco da abertura do evento há 13 anos, que também receberá o desfile das delegações em 2022. A competição contará com cerca de 3.000 atletas, em 109 eventos, de sete esportes olímpicos (15 modalidades), até o dia 20 de fevereiro.

“Ter a oportunidade de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno demostra o quão democrático o cenário esportivo brasileiro é e, principalmente, exemplifica o desenvolvimento do esporte brasileiro no cenário olímpico”, disse Sebastian Pereira, gerente executivo de Jogos e Operações Internacionais do COB. 

“Mesmo considerando o momento atual de pandemia do Covid-19, nosso objetivo é sempre a busca de sermos melhores que a edição anterior do evento. Ou seja, evoluir nos resultados esportivos e no número de atletas brasileiros nos Jogos”, completou.

Até o momento, o Brasil tem garantidas três vagas em Pequim, todas no esqui cross-country, sendo duas no feminino e uma no masculino. A expectativa é bater o recorde de participantes (13) e de modalidades disputadas numa mesma edição (7), ambas em Sochi 2014. O Brasil vai buscar ainda ter representantes nas seguintes modalidades: esqui alpino, esqui estilo livre (moguls e halfpipe) e snowboard (cross e halfpipe), entre os esportes de neve; e bobsled (equipes masculino e monobob feminino), skeleton, patinação artística, patinação velocidade e curling, nos de gelo.

De Albertville 1992, na França, quando começou a história do Brasil em Jogos Olímpicos de Inverno, até PyeongChang 2018, na Coreia do Sul, o Time Brasil soma 8 participações no evento, com 35 atletas em 8 modalidades (biatlo, bobsled, esqui alpino, esqui cross country, esqui estilo livre, luge, patinação artística e snowboard). Na última participação, com dez atletas, teve a terceira maior delegação das Américas, atrás apenas de Canadá e Estados Unidos.

Com o início da temporada de inverno no hemisfério norte, os atletas brasileiros vão em busca da vaga olímpica, a partir do planejamento elaborado pela Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) e pela Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG), com apoio do COB.

“A CBDG está em fase final de preparação. Esperamos levar nossa maior delegação, tanto em número de provas disputadas, quanto em número de atletas. Grandes chances de qualificação no 2-man, 4-man e monobob, no bobsled e de estrearmos no skeleton com a Nicole Silveira, atleta muito promissora. Também acreditamos na terceira qualificação consecutiva da Isadora Williams. E trabalhamos pela classificação, embora mais difícil, na patinação de velocidade e no curling. Nós e os atletas estamos motivados para alcançar grandes marcas”, explicou Felipe Braun, Gerente de Esportes da CBDG.

“O sistema de classificação para os Jogos foi desenhado, na maioria dos esportes de neve, para que as vagas sejam definidas na própria temporada dos Jogos. Assim, estamos na reta final de classificação e preparação para o evento. Em diversos casos, só teremos a confirmação das vagas a menos de um mês para a abertura de Pequim 2022. Por isso, os atletas brasileiros e suas equipes técnicas entrarão nas pistas em diversos países do mundo buscando a classificação ao longo dos próximos meses”, disse Pedro Cavazzoni, CEO e Superintendente Técnico da CBDN.

Pequim 2022

Os próximos Jogos Olímpicos de Inverno estão divididos em três zonas de competição: Pequim, Yanqing e Zhangjiakou, na província de Hebei. E os brasileiros terão boas lembranças durante a competição. O Ninho de Pássaro, o Cubo D’Água e o Capital Indoor Stadium são alguns dos locais em que os atletas do Brasil brilharam em Pequim 2008 e os torcedores poderão revisitar 14 anos depois.

“Estar presente em uma edição histórica de Jogos, por Pequim ser a única cidade no mundo a sediar os Jogos Olímpicos de Verão e agora de Inverno, será uma emoção única e tenho a certeza que todos os atletas e oficiais estarão felizes em participar deste momento único. Estar em uma edição de Jogos Olímpicos é para poucos e disputar uma como esta será ainda mais especial”, comentou Sebastian.

Todos os 12 locais de competição estão prontos e começarão agora a receber eventos-teste. Quanto às nove instalações não-competitivas, como Centros de Mídia e as Vilas Olímpicas, oito já foram colocadas em funcionamento e a reforma da última, o Estádio Nacional, mais conhecido como Ninho do Pássaro, que será usado para as Cerimônias de Abertura e Encerramento, deverá ser concluída até outubro. Além disso, mais de 30 projetos de infraestrutura de apoio foram concluídos até junho, incluindo uma ferrovia de alta velocidade, novas vias expressas e uma rede de energia ecologicamente correta. O Comitê Organizador Pequim 2022 colocou a sustentabilidade como um dos pilares e, por isso, todas as instalações serão abertas ao público para a prática de esportes de inverno após os Jogos.

Fonte: Comitê Olímpico Brasileiro


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo