Esportes

Wolff, Horner e Szafnauer revelam o quão perto chegaram de contratar Kimi Raikkonen

O enigmático e inimitável Kimi Raikkonen anunciou na semana passada que 2021 seria sua última temporada na Fórmula 1 – mas quão perto chegaram de contratá-lo? Os chefes de equipe Toto Wolff, Christian Horner e Otmar Szafnauer revelam tudo.

Raikkonen, que perdeu o Grande Prêmio da Holanda por ter testado positivo para Covid-19, venceu o campeonato de Fórmula 1 em 2007 e, em seu caminho para obter o recorde de mais participações na F1, correu pela Sauber, McLaren, Ferrari, Lotus, Ferrari novamente, e atualmente Alfa Romeo. O chefe da equipe da Red Bull, Horner, disse que as discussões para Raikkonen se juntar à sua equipe em 2014 foram insuficientes, no entanto.

“Sim, tivemos algumas conversas com Kimi, sabe, quando havia uma escolha de quem substituir Mark Webber. Kimi, após seu retorno de seu ano sabático [de 2010-12], ele obviamente teve um relacionamento com a Red Bull durante seu tempo de rally e no início de sua carreira”, disse Horner.

“Tivemos algumas discussões, mas não deu certo. Ele teve uma carreira notável; ele é um ícone do esporte; é mais o caso do que ele não diz do que o que ele diz, mas eu acho que ele fará muita falta. Ele teve uma carreira fenomenal e, obviamente, ainda competitivo em seus 40 anos”.

A Williams também tentou abocanhar o finlandês quando Wolff era o diretor executivo da equipe por volta de 2012, o austríaco explicando: “Sim, tive uma breve interação com ele no meu tempo de Williams para conversar se ele poderia se juntar a Williams. Geralmente, gosto dele como personagem; ele permanece fiel a si mesmo”.

Quanto ao atual chefe da Aston Martin, Szafnauer, o ex-executivo de corrida da Honda e chefe da equipe da Force India disse que tentou contratar o campeão de F1 de 2007 para ambas as equipes em meados dos anos 2000 e meados dos anos 2010.

106826076
Raikkonen competiu em um carro de rally da Red Bull em 2010 durante seu periodo sabático da F1

“Duas vezes. Uma vez quando estava na Honda e outra quando estava na Force India. Por isso, falei duas vezes com ele sobre o potencial de vir dirigir para nós”, disse Szafnauer.

“Eu não trabalhei com ele, mas falei com ele sobre potencialmente trabalhar com ele e negociei com ele. Eu realmente gosto dele, ele é um grande personagem, ele é um verdadeiro piloto – sempre focado em ser o mais rápido possível e é isso que ele mais se preocupa, a direção, e não todas as outras coisas que os pilotos têm que fazer na Fórmula 1, ele não gostou muito disso”.

“Um grande personagem, fará falta, mas todos nós trabalhamos para se aposentar um dia e eu o parabenizo por seus sucessos e pelo fato de ele estar aposentando e desejamos-lhe sorte no futuro”, concluiu o chefe da Aston Martin.

Na segunda-feira, Valtteri Bottas da Mercedes foi anunciado como o substituto de Raikkonen quando o veterano deixa a Alfa Romeo e a F1 no final desta temporada.

Fonte: Fórmula 1


Seu apoio é importante, torne-se um assinante! Sua assinatura contribuirá para o crescimento do bom jornalismo e ajudará a salvaguardar nossas liberdades e democracia para as gerações futuras. Obrigado pelo apoio!

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo