News

Enorme estudo encontrou efeitos colaterais piores da infecção por COVID do que da vacinação

O estudo acompanhou 2 milhões de membros do fundo de saúde Clalit. Resultados significativamente piores (incluindo miocárdio) para infectados vs. vacinados.

Um novo estudo comparando os efeitos colaterais da vacina contra o coronavírus às complicações do próprio coronavírus está sendo publicado na quinta-feira no New England Journal of Medicine. O estudo de pesquisa, que foi conduzido pelo fundo de saúde Clalit junto com a Universidade de Harvard, acompanhou dois milhões de casos, todos membros do Clalit.

A primeira parte do estudo, relata Israel Hayom , comparou a presença de 25 efeitos colaterais diferentes em pessoas que foram vacinadas recentemente e em um grupo de controle que não foi vacinado. Na segunda parte do estudo, os mesmos 25 efeitos colaterais foram comparados em pessoas que contraíram coronavírus recentemente a um grupo de controle que não havia contraído o vírus (nenhum dos quais foi vacinado).

O chefe do departamento de inovações da Clalit, Prof. Ran Balicer, concluiu a partir dos resultados do estudo que, “Mais uma vez, estamos vendo como a vacina é segura e também como a infecção natural pelo coronavírus em uma pessoa não vacinada o expõe a perigos significativos que podem levar a doenças graves – além do perigo direto da infecção por coronavírus, que pode danificar os pulmões e causar o surgimento de complicações graves. ”

Ele acrescentou que “neste estudo, não encontramos nenhum caso excessivo de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral ou arritmia, ou de distúrbios graves de coagulação do sangue, como coágulos de sangue em veias profundas ou embolia pulmonar, mas encontramos esses efeitos naqueles que não foram vacinados e contraíram o coronavírus ‘naturalmente’ ”.

A pesquisa de Clalit também mediu a taxa de infecção do miocárdio em indivíduos vacinados, em oposição àqueles que contraíram o vírus. Os resultados mostraram uma taxa de 2,7 casos em 100.000 para a população vacinada, em oposição a 11 casos por 100.000 para aqueles que contraíram o coronavírus e não foram vacinados, e achados semelhantes foram relatados com relação a outros efeitos colaterais.

No entanto, o estudo não pesquisou desfechos para pessoas que foram vacinadas e, apesar disso, contraíram o coronavírus – os chamados casos de descoberta.

“Na situação atual, com um alto índice de infecção, este estudo destaca a necessidade de as pessoas que ainda não foram vacinadas saírem e se vacinarem com urgência”, disse o Prof. Balicer. “Escolher ser vacinado é uma decisão sábia à luz deste extenso estudo que agora recebeu um ‘selo de aprovação’ pelo jornal médico líder mundial.”

O Prof. Ben Reis, Diretor do Grupo de Medicina Preditiva do Programa de Informática em Saúde Computacional do Hospital Infantil de Boston e da Escola de Medicina de Harvard, disse: “Até o momento, um dos principais fatores para a hesitação da vacina tem sido a falta de informações sobre os potenciais efeitos colaterais de a vacina. Este estudo epidemiológico cuidadoso fornece informações confiáveis ​​sobre a segurança da vacina, que esperamos seja útil para aqueles que ainda não decidiram sobre a vacinação. ”

Ele continuou, “Aqueles que hesitaram até agora em serem vacinados devido a preocupações sobre efeitos colaterais muito raros – como miocardite – devem estar cientes de que os riscos para esse mesmo efeito colateral são realmente maiores entre os indivíduos infectados não vacinados”.

Fonte: https://www.israelnationalnews.com


Ver também:

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

Como estabelecer metas de estudos.

 A educação de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar.


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo