Pets

Conheça o projeto de lei federal ”Animal não é coisa”(PLC 27/2018 OU PL 6.054/19)

Está em trâmite no Congresso Nacional um projeto de lei para mudar o status dos animais em nosso ordenamento jurídico. Se você não sabe,  os animais são considerados uma coisa, um bem semovente (que se move por vontade própria)  como cita o art. 82 do código civil de 2002. Apesar de todas as evidências científicas do contrário, do reconhecimento da senciência, inclusive da Declaração de Cambridge de 2012, que reconheceu as semelhanças neuro-fisiológicas e a capacidade de consciência dos animais. Enfim, é importante que a sociedade saiba do tema e do que está sendo decidido por nossos parlamentares.  

Alguns países da Europa já alteraram suas constituições ou seus códigos civis reconhecendo os animais como seres sencientes. Em um primeiro momento talvez essas mudanças não tenham provocado grandes resultados práticos na vida dos animais, porém é inegável que há um avanço que deve ser comemorado e no futuro fruto serão colhidos. Afinal, as mudanças legislativas são reflexos do comportamento das sociedades.  

O referido projeto de iniciativa do Dep. Ricardo Izar tem por objetivo: 

Acrescentar dispositivo à Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, para dispor sobre a natureza jurídica dos animais não humanos e determina que os animais não humanos possuem natureza jurídica sui generis e são sujeitos de direitos despersonificados, dos quais devem gozar e obter tutela jurisdicional em caso de violação, vedado o seu tratamento como coisa. (grifo do autor)

O projeto inicial sofreu emendas que acrescentaram um parágrafo único ao artigo 3º:

Parágrafo único A tutela jurisdicional referida no caput não se aplica ao uso e disposição dos animais empregados na produção agropecuária, pesquisa científica e aos que participam de manifestações culturais registradas como bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro, resguardada a sua dignidade.” (grifo meu).

As emendas restringiram o alcance do projeto de lei, segregando algumas espécies devido a sua utilização pelo homem. Daí, surgiu um debate no movimento animalista. 

O que vai melhorar para os animais?

A- O reconhecimento nesse momento atual de que não são coisas, o que seria considerado um avanço, mesmo que só valendo para um grupo de animais, ou seja, os de companhia? 

B- Ou não aprovar o projeto e deixar como está, pois a mudança poderia trazer resultados negativos para as espécies excluídas? 

Como podemos observar, há duas correntes debatendo o tema. Acompanhe os argumentos e faça sua reflexão. O momento de participar é agora. Podemos enviar e-mails para os deputados e pressioná-los através das redes sociais. 

Assista a live aqui com a presença do Deputado Ricardo Izar.

Leia aqui o manifesto em sentido contrário ao projeto e as razões.

Créditos: RENATO SILVANO PULZ

Fonte: https://vegvets.com

Mas em Santa Catarina, os deputados votam a favor a corrida de cães, o Projeto de Lei (PL) 70/2021, de autoria do deputado Marcius Machado (PL), que proibia a realização de corrida de cães no estado. Com a decisão, a proposta será arquivada.

Entre no link e conheça quem foram os deputados catarinenses que são a favor da corrida de cães neste estado: Retrocesso em Santa Catarina: Plenário rejeita projeto que proibia corrida de cães

Ver também:

Conheça como funciona o trabalho de uma OSCIP que resgata animais em situação de risco e abandono.

Como estabelecer metas de estudos.

 A educação de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar.


O ensino de alta qualidade já está ao alcance de todos e em qualquer lugar. Educação de Ensino em Casa, Jardins de Infância e Escolas, com cursos educacionais pré-escolar, ensino básico, fundamental e médio!

Gratuitamente, clique e comece já!

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo